Aulas devem voltar ao normal após morte de professora em Araraquara

Educadora passou mal depois de conter um aluna que tentava agredi-la e morreu a caminho da unidade de saúde

24 Outubro 2012 | 16h27

SÃO PAULO - As aulas na Escola Estadual Professora Jandyra Nery Gatti, em Araraquara, interior de São Paulo, devem voltar ao normal nesta quinta-feira, 25, depois da morte da docente Izabel Cristina Sampaio, de 50 anos, na manhã de terça-feira, 22. Sampaio passou mal depois de conter um aluno, de 8 anos, que tentou agredi-la, afirma a Secretaria Estadual da Educação de São Paulo. A educadora morreu a caminho de uma unidade de saúde. O colégio não abriu as portas nesta quarta, 24, em luto pelo ocorrido.

 

Por volta das 10h da última terça, Sampaio estava, na sala de aula com uma turma do segundo ano do ensino fundamental quando passou mal. Segundo a direção da escola, a professora sentiu o mal-estar depois de conter um aluno que tentava agredi-la.

 

A administração do colégio chamou o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) assim que a professora informou não estar bem. Izabel estava a caminho de uma unidade de saúde quando morreu, diz a secretaria.

 

A direção da escola estadual já havia acionado o Conselho Tutelar para acompanhar o caso do estudante envolvido na morte, afirma a Secretaria da Educação. De acordo com eles, o aluno apresentava comportamento agressivo. O menino também estava sob acompanhamento médico por um serviço de saúde do município. O colégio destaca que nunca recebeu orientação médica impedindo a permanência da criança em ambiente escolar.

 

Um membro da Subsecretaria de Articulação Regional da Secretaria da Educação está no local do ocorrido para prestar apoio aos familiares da professora e ao aluno envolvido. O corpo de Sampaio foi enterrado nesta quarta, em Rincão, na região de Araraquara.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.