Gabriela Bilo/Estadão
Gabriela Bilo/Estadão

Auditoria apura desvio de R$ 6,5 mi na Santa Casa de São Roque

Único hospital na cidade a atender pelo Sistema Único de Saúde (SUS) está sob intervenção da prefeitura desde julho por falhas recorrentes no atendimento à população

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

22 Dezembro 2014 | 18h38

SOROCABA - Relatório final de auditoria feita na Santa Casa de São Roque, região de Sorocaba (SP), constatou desvios de até R$ 6,5 milhões. O hospital filantrópico, único na cidade a atender pelo Sistema Único de Saúde (SUS), está sob intervenção da prefeitura desde julho deste ano por falhas recorrentes no atendimento à população.

De acordo com o relatório final divulgado nesta segunda-feira, 22, está incluído nos desvios um desfalque de R$ 1 milhão nos cofres da instituição. Cópias do relatório, com 925 páginas, foram encaminhadas aos Ministérios Públicos Estadual e Federal, já que o hospital recebe repasses do Estado e da União. 

A fiscalização revelou que os antigos administradores pagavam mensalmente por serviços que não eram prestados, até mesmo de consultoria. Medicamentos e materiais foram comprados por valores muito acima do mercado e sem tomada de preços. Os contratos com fornecedores tinham previsão de multa rescisória apenas em favor dos contratados. Foi apurado que serviços de reforma no prédio da Santa Casa foram superfaturados em 138%. Para maquiar a contabilidade, empréstimos tomados de instituição financeira eram lançados como receita realizada. Dez pessoas, entre elas um vereador, são apontadas como responsáveis pelos desvios. 

Investigação. A auditoria, realizada durante seis meses, investigou as contas e o sistema de gestão do hospital nos últimos cinco anos. A prefeitura informou que a comissão de intervenção continuará administrando a Santa Casa e, para que a população não seja prejudicada, os repasses de verbas continuam sendo feitos. O hospital atende cerca de 10 mil pacientes por mês.

A promotoria local do Ministério Público Estadual iniciou a análise dos documentos para decidir sobre a abertura de inquérito. A procuradoria regional do Ministério Público Federal já abriu investigação preliminar. Os nomes dos envolvidos nos supostos desvios não foram divulgados.

Santa Casa de São Paulo. Em São Paulo, a Santa Casa também enfrenta problemas. Nesta segunda-feira, 21, o provedor Kalil Rocha Abdalla comunicou que vai se licenciar do cargo por ao menos 90 dias. A crise financeira se aprofundou na gestão de Abdalla, passando de R$ 80 milhões para mais de R$ 400 milhões desde 2008.

Mais conteúdo sobre:
São Roque Santa Casa de São Roque SUS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.