Audiências em abrigos reenviaram para casa 1,1 mil

Entre janeiro de 2010 e junho deste ano, o Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) realizou audiências concentradas nos abrigos da capital, com mecanismo semelhante ao que vai ser aplicado na cracolândia.

O Estado de S.Paulo

03 Outubro 2011 | 03h00

Com as análises de crianças e adolescentes abrigados, o TJ descobriu que 1.126 mil crianças (ou 20% do total) já tinham condições de voltar para as famílias.

"Esse modelo de mutirão é importante para o magistrado estabelecer procedimentos claros para um determinado caso. Nos abrigos, percebemos que é preciso mais agilidade para atender as crianças mais rapidamente", disse o juiz Samuel Karassin.

Ele é integrante da Coordenadoria da Infância e da Juventude do TJ-SP e um dos envolvidos no projeto da cracolândia. / V.H.B.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.