Atropelador de ciclistas no RS está solto

Acusado de jogar o carro contra um grupo de ciclistas em Porto Alegre em 25 de fevereiro do ano passado, o bancário Ricardo José Neis, de 48 anos, responde ao processo em liberdade. Ele alega que tentou abrir caminho para proteger a si próprio e ao filho, de 15 anos, depois de uma discussão com os ciclistas.

O Estado de S.Paulo

15 Março 2012 | 03h05

Cerca de cem pessoas do grupo Massa Crítica faziam um passeio noturno de bicicleta pela Rua José do Patrocínio, no bairro Cidade Baixa, em uma sexta-feira, fechando a via. Eles pediam aos motoristas que aguardassem a passagem por algumas quadras.

Segundo testemunhas, Neis ficou irritado, acelerou sobre o grupo e feriu 17 pessoas. Os ciclistas teriam feito inclusive sinal para que ele parasse - como mostra vídeo do incidente na internet.

Em março do ano passado, o bancário foi denunciado pelo Ministério Público Estadual do Rio Grande do Sul por 17 tentativas de homicídio triplamente qualificado. Ele permaneceu detido por 30 dias, entre 11 de março e 9 de abril, mas recebeu habeas corpus e agora aguarda uma decisão da Justiça.

Em depoimento à polícia, Neis se declarou vítima. Segundo sua versão, ele discutiu com os ciclistas, que teriam quebrado o retrovisor de seu carro. Depois disso, o bancário teria acelerado para não ser vítima de linchamento. / WILLIAM CARDOSO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.