Atrasos aumentam e atingem 44,7% dos vôos nos aeroportos

Dos 1.282 vôos programados até às 18h30, 573 têm atrasos de mais de uma hora e 144 são cancelados

Elder Ogliari, do Estadão, e Mônica Aquino, do estadao.com.br,

21 de julho de 2007 | 18h31

Os atrasos aumentaram nos aeroportos do País na tarde deste sábado, 21, e atingiram 44,7% dos vôos programados até às 18h30, segundo a Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero). Dos 1.282 vôos programados, 573 tiveram atrasos de mais de uma hora e 144 foram cancelados, segundo a Infraero. A situação ficou ainda mais complicada por conta da pane no Cindacta-4, em Manaus, que fez com que vôos internacionais tivessem que ser desviados durante a madrugada deste sábado.   Pane no Cindacta-4 desvia vôos internacionais A situação era complicada no Aeroporto Internacional de São Paulo (Cumbica), em Guarulhos, onde 37,7% dos vôos estavam fora do horário. Dos 204 vôos programados até às 18h30, 77 tiveram atrasos superiores a uma hora e três foram cancelados, segundo a Infraero. Em Congonhas, na zona sul da capital paulista, dos 169 vôos programados, 38 estavam atrasados (22,4%) e 47 foram cancelados. Apesar de ter um menor volume de vôos, a pior situação deste sábado era a do aeroporto de Belém, onde dos 27 vôos programados até às 18h30, 24 tiveram atrasos superiores a uma hora (88,8%). Em Porto Alegre, o Aeroporto Salgado Filho tinha situação também era complicada e 84,4% dos vôos atrasaram. Dos 45 vôos programados, 38 saíram fora do horário e dois foram cancelados. Confusão O dia foi complicado no Salgado Filho, que ficou fechado para pousos das 6h35 às 10h55 e para decolagens das 7h41 às 8h40 e das 10h25 às 10h55 por conta da neblina. Alguns passageiros de um vôo para o Rio de Janeiro que a Gol cancelou ficaram muito irritados e passaram às agressões verbais contra os funcionários. A supervisão da empresa retirou os atendentes dos guichês durante1h15, período em que conseguiu vagas em outros vôos para quem perdeu a viagem cancelada. Os guichês foram reabertos quando os ânimos estavam acalmados. O casal Aristides e Alexandra Schiocheti foi prejudicado pelas confusões dos últimos dias. Moradores de Londrina, o casal viajou para o Paraná às 20h30 de quinta-feira. Como sabiam da possibilidade de atraso, não foram para o aeroporto. Do local onde estavam hospedados, monitoraram a confirmação do vôo pela internet. Às 4 horas de sexta-feira desistiram e transferiram a passagem para às 9 horas deste sábado. Mas a neblina atrapalhou os planos de novo. Às 11 horas, foram informados que viajariam no início da tarde, depois da chegada do avião que faria o trajeto. "Estamos cansados, é muita confusão", queixou Aristides.      

Tudo o que sabemos sobre:
crise aéreaatrasos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.