Atirador saiu de casa armado e com colete à prova de balas

Michel Goldfarb atirou em 2 pessoas para roubar 4 carros, anteontem; ele teve a prisão temporária decretada

GIO MENDES , JORNAL DA TARDE, O Estado de S.Paulo

11 de janeiro de 2012 | 03h02

Uma hora e meia antes de cometer uma série de crimes na zona sul de São Paulo durante um surto, o empresário e artista plástico Michel Goldfarb Costa, de 35 anos, foi visto deixando o condomínio onde mora, em Cotia, na Grande São Paulo, dirigindo seu Toyota Corolla blindado ao mesmo tempo que segurava uma pistola calibre 380. Um funcionário do local, ouvido pela Polícia Civil, também notou que Goldfarb usava um colete à prova de balas quando saiu de casa.

Ontem, a juíza Ariane de Fátima Alves Dias, do Departamento de Inquéritos Policiais (Dipo), decretou a prisão temporária de Goldfarb, que ainda não foi localizado pela polícia. Segundo o delegado Marcos Antônio Manfrim, titular do 26.º DP (Sacomã), o empresário vai responder pelos crimes de tentativas de assassinato e lesões corporais, entre outros delitos.

Goldfarb é acusado de atirar em duas pessoas para roubar quatro carros e tentar levar outros dois, além de se envolver em quatro acidentes de trânsito que deixaram duas pessoas feridas, entre elas um bebê de dois meses, por volta das 5h30 de anteontem. Os dois homens baleados pelo empresário, um na barriga e outro de raspão no braço, passam bem.

Namorada. Em depoimento à polícia, a namorada do empresário, uma estudante de Psicologia, contou que estava dormindo quando Goldfarb saiu de casa, por volta das 4h. Ele teria ficado assustado ao ouvir os cachorros latindo. Segundo Manfrim, o acusado tinha mania de perseguição e era uma pessoa reservada, de acordo com o relato da namorada. "Ele já saiu de casa com alguma coisa em mente e cometeu essa série de crimes após um surto psicótico, que não tem explicação", disse Manfrim.

O advogado Nicolau Aun Junior disse que Goldfarb foi ameaçado de morte por vizinhos que ficavam irritados com o barulho dos "12 vira-latas que ele recolheu na rua".

"Por isso que ele tinha um colete à prova de balas", disse Aun. Segundo ele, Goldfarb ainda não o procurou. "Eu vou orientá-lo para que se entregue à polícia", afirmou Aun.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.