Atingida na coluna, uma das vítimas ficou paraplégica

Das oito vítimas baleadas por Edimar Aparecido Freitas, o caso mais grave é o de Pedro Russo Júnior, hoje com 26 anos. Atingido por dois tiros, um na coluna e outro na região genital, ele ficou paraplégico e evita contato com a imprensa. Não teve como continuar os estudos e não consegue emprego. O que dá energia a ele é o filho Vinícius, de 7 anos.

Brás Henrique, O Estado de S.Paulo

10 de abril de 2011 | 00h00

Seu pai, Pedro Russo, de 55, demonstra abatimento ao falar sobre o episódio. "Estamos superando aos poucos."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.