Atendimento vip e 'caderneta' para pendurar contas

A Oscar Freire de São José do Rio Preto ocupa três quadras da Rua Generosa Bastos. Lá é possível comprar vestidos Maria Bonita, ternos Ricardo Almeida, criações de André Lima e Reinaldo Lourenço, além de almoçar num bom restaurante francês, desde que se tenha reserva antecipada.

Chico Siqueira, especial Para o Estado, O Estado de S.Paulo

18 de julho de 2010 | 00h00

Fachadas e decorações lembram lojas de São Paulo. O atendimento dá direito a personal stylist, champanhe e chazinho. E o melhor tudo: os gastos podem ser "pendurados". "Viajar para São Paulo agora só para passear", diz a publicitária Natália Finimundi, de 26 anos, que já morou em Nova York, Miami e na capital paulista.

"Há alguns anos clientes deixaram de viajar atrás de tendências. Hoje encontram tudo aqui, com mais comodidade", confirma Daniela Tarraf, dona da Bazaar, loja de 200 metros quadrados que vende grifes como Cris Barros, Huis Clos e Raia de Goeye. Antenada com o que querem as clientes, ela programa para agosto sessão com consultores da Maria Bonita para vestir e maquiar clientes. E acha que a maior vantagem do interior está no atendimento personalizado. "Todos se conhecem, então é normal vender a prazo, como a antiga caderneta."

Mais à frente fica a loja The Original, dos irmãos Fabi e Milton Homsi. Além de ternos Ricardo Almeida, oferece peças de grifes femininas famosas. Um vestidinho Lolitta de seda sai, por exemplo, por R$ 1.179,00. "E aqui também vendemos em boleto", conta Homsi.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.