Atendimento sofrível

TELEFÔNICA/VIVO

O Estado de S.Paulo

29 Novembro 2012 | 02h04

Sou proprietário de 4 linhas corporativas da Vivo. Nos últimos 14 anos de fidelidade, nunca atrasei o pagamento da conta. Desde o dia 2/10 uma das linhas não identifica mais as chamadas recebidas. Após diversas tentativas, pois não consigo conversar com ninguém da operadora, ouvi pelo *8486 que o problema estaria no aparelho. Troquei de chip para verificar e o problema ocorreu em outro telefone, confirmando que o problema era no chip! Fui a uma loja da Vivo, onde confirmaram o problema, mas não puderiam fazer nada, por ser linha corporativa. Na loja, após pesquisa, informaram que, no dia 2/10, a linha fora convertida para "dados". Tentei solucionar por e-mail, telefone, em vão.

CAIO MAGHIDMAN / SÃO PAULO

A Telefônica|Vivo informa que as linhas do sr. Maghidman estão funcionando no plano desejado. A empresa lamenta e pede desculpas pelos transtornos causados.

O leitor informa: A empresa se limita a dar uma resposta fria e sem nenhuma pesquisa sobre o andamento do processo. O fato mais claro sobre isso é ter recebido no dia 26/11 uma ligação telefônica para solicitar maiores informações sobre o meu caso. Enviaram ainda um telegrama informando que tentaram um contato comigo em diversos telefones, sem que eu tenha sido encontrado, solicitando esclarecimentos sobre o problema. Em nenhum momento tive no celular uma ligação perdida nos dias apontados. E, para piorar, o número no telegrama para entrar em contato, não existe! O serviço de identificação voltou, mas cobraram uma taxa adicional, que não concordo.

TELEFÔNICA/VIVO 2

6 meses de enrolação

Após 6 meses perdi a paciência com a Vivo. Meus problemas começaram quando mudei de casa. Várias vezes foi agendada a instalação do Speedy, mas os técnicos nunca apareceram. Já anotei centenas de protocolos, perdi horas no telefone, fui maltratada e nunca resolveram o meu problema. Além disso, recebi ameaças por uma gravação telefônica informando que meu nome iria para a Serasa, caso eu não pagasse a conta em 24 horas. Com medo, acabei pagando em duplicidade uma conta que já estava em dia. Sobre a instalação, os técnicos apareceram, mas não conseguiram fazê-la. Após várias ligações ficaram de mandar outros profissionais. Após longa espera, a Vivo me ligou informando que não há funcionário disponível na minha área. Ou seja, estou há 6 meses pagando por um serviço que não possuo. Até quando tenho de esperar?

MARIA THEODORA DA CÂMARA FALCÃO BARBOSA / SÃO PAULO

A equipe da Vivo informa que o serviço Vivo Speedy foi cancelado, conforme o pedido da cliente.

A leitora desmente: Funcionários da Vivo ligaram me cobrando, portanto, o serviço ainda não foi cancelado. Recebi um e-mail dizendo que o motoboy iria buscar o equipamento (já devolvido!). Quero que a Vivo me mande um e-mail dizendo que não estou devendo, mas a empresa não o faz. Só me ligam para cobrar. Não aguento mais essa situação!

BURACO NA RUA

Jogo de empurra-empurra

Na Rua Doutor Olavo Egídio, na esquina com o cruzamento da Rua Voluntários da Pátria, Santana, há um buraco bem na faixa de pedestres. Enquanto os transeuntes estão preocupados em atravessar com segurança, já que há uma demanda grande de carros, não veem o enorme buraco no asfalto. Com isso, os pedestres caem e se machucam, e a situação acaba ficando por isso mesmo. Os comerciantes dizem que diariamente de 4 a 6 pessoas acabam se acidentando. Faz tempo que esse buraco permanece lá e nenhuma providência foi tomada. Ou seja, faz tempo que a rua não é recapeada!

MARIA DA GRAÇA NOGUEIRA

/ SÃO PAULO

A Subprefeitura Santana/Tucuruvi informa que a irregularidade no cruzamento das Ruas Doutor Olavo Egídio com a Voluntários da Pátria se trata de um desnivelamento da tampa de um Poço de Visita (PV) que causou fissuras na via. O PV é de responsabilidade da Telefônica, que já foi acionada e deve providenciar os devidos reparos no local.

A leitora comenta: Para quem já se acidentou como eu e tantos outros, não interessa quem é o responsável pelo buraco, e sim o conserto dele. Esse "desnivelamento" está causando sérios transtornos. De qualquer forma, esse espaço no jornal é importante para tornar público a omissão e o empurra-empurra dos órgãos responsáveis pelo conserto. Espero que algo seja feito e agradeço pelo espaço.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.