Helio Torchi
Helio Torchi

Atenção: não pegue notas com tinta rosa

Banco Central alerta que cédulas roubadas de caixas eletrônicos estão em circulação

Felipe Frazão, O Estado de S.Paulo

19 de maio de 2011 | 00h00

O Banco Central divulgou alerta ontem para que toda a população recuse notas de real manchadas de rosa. Essas cédulas já circulam no Estado de São Paulo e foram coloridas após roubos a caixas eletrônicos. Nesses casos, um sistema existente nos equipamentos 24 horas tingiu as notas, assim que o lacre do caixa se rompeu.

O governo considera as notas manchadas como "danificadas" e pretende tirá-las da praça e destruí-las, como ocorre com os reais rasgados, rabiscados ou malconservados.

Quem já tiver recebido o dinheiro pintado não deve preocupar-se em ser acusado de crime. A polícia esclareceu que os portadores não serão enquadrados em receptação de item roubado ou furtado. No entanto, devem providenciar rapidamente o depósito desse valor em sua conta bancária ou trocar o dinheiro diretamente no caixa. As delegacias dos bairros também vão receber e apreender as notas.

Nas agências, o dinheiro rosado vai para um cadastro próprio, que será enviado à polícia. O portador tem o RG e o CPF catalogados e recebe um recibo. Ontem, o Banco do Brasil comunicou os primeiros cinco casos de recebimento à polícia.

Posteriormente, a intenção dos investigadores é rastrear a origem e a distribuição das cédulas. Todo o dinheiro retido será enviado ao Banco Central. Caso se comprove a veracidade da cédula, o valor depositado em notas manchadas será creditado normalmente, em data ainda a ser definida. O BC reitera, porém, a recomendação para que comerciantes e consumidores fiquem atentos quando receberem trocos e pagamentos. E recusem notas tingidas.

Estouro. A tecnologia que tinge as cédulas de rosa quando quadrilhas explodem caixas eletrônicos já é usada na França, Bélgica e Suíça. Ela foi adaptada aos terminais de autoatendimento brasileiros pela TecBan, empresa que opera a rede 24 Horas.

Segundo a empresa, todos os 12 mil caixas eletrônicos do Banco 24 Horas existentes no Brasil têm o sistema instalado. A tecnologia também foi apresentada à Febraban, para que seja testada em outros bancos privados. Ela começou a ser implementada em maio do ano passado.

A TecBan estima em 65 o número de terminais 24 Horas estourados por bandidos. Do início do ano até a primeira quinzena deste mês, houve 122 casos na Grande São Paulo. De cada quatro caixas atacados, um foi explodido. Por motivo de segurança, a TecBan não revela como o sistema funciona, mas diz que a força da explosão espalha a tinta e respingos cor-de-rosa atingem todas as cédulas da máquina. / COLABOROU MARCELO GODOY

PRESTE ATENÇÃO...

1. Verifique o estado de conservação das notas de real recebidas. E recuse cédulas suspeitas ou manchadas.

2. Se já estiver com uma nota cor-de-rosa, deposite-a na sua conta ou troque-a diretamente no caixa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.