Até Frangogate, de 1996, vira arma na briga

Quinze anos após deixar a Prefeitura, o deputado federal Paulo Maluf (PP) poderá ser inquirido pelos antigos aliados na Câmara Municipal. Em retaliação ao apoio do PP ao candidato à presidência do Legislativo José Police Neto (PSDB), o bloco pluripartidário "centrão" - que apoia Milton Leite (DEM) - protocolou ontem pedido de abertura de CPI para investigar a compra de frangos superfaturados na gestão de Maluf (1993-1996). O caso conhecido como Frangogate gerou, segundo o Ministério Público Estadual, R$ 1,2 bilhão de prejuízos aos cofres públicos.

Diego Zanchetta, O Estado de S.Paulo

09 Dezembro 2010 | 00h00

O pedido de CPI foi feito pelo vereador Adilson Amadeu (PTB) e teve a assinatura de 19 vereadores. Se a comissão for instaurada na sessão de hoje, o deputado poderá ser convocado na segunda-feira para depor.

Entre 1996 e 1997, empresa de um cunhado de Maluf forneceu carne de frango à Prefeitura a preços acima dos de mercado, segundo o MP. Na época, os vereadores não investigaram. Procurado pela reportagem, Maluf não retornou as ligações.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.