Até concorrentes ajudam as escolas prejudicadas

O incêndio que tirou da competição a Acadêmicos do Grande Rio, a Portela e a União da Ilha não abateu o ânimo das três escolas, que prometem fazer tudo para aprontar o desfile até março. Os integrantes sabem que não serão julgados pelos jurados, mas não querem a escola fora do sambódromo.

Marcelo Auler, O Estado de S.Paulo

08 Fevereiro 2011 | 00h00

As três escolas contam com a solidariedade de suas comunidades - que vão dos componentes históricos, patronos e patrocinadores ao comércio dos bairros onde estão instaladas - e até das concorrentes. A União da Ilha tinha a promessa de empréstimo de 30 máquinas de costura de um amigo da escola e de um galpão para remontar o ateliê das fantasias. O salgueirense Nivaldo Ribeiro Rocha, de 52 anos, foi ontem à quadra da Portela. "Vim ajudar no que for possível."

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.