Ataques deixam quatro mortos na região do Jaçanã, na zona norte

Três vítimas, entre elas um cadeirante e uma mulher, morreram em uma chacina; ao menos uma pessoa ficou ferida nas ocorrências

Felipe Resk, O Estado de S. Paulo

09 Abril 2015 | 08h39

SÃO PAULO - Três ataques em sequência deixaram quatro pessoas mortas e ao menos uma ferida na zona norte da capital, entre a noite de quarta-feira, 8, e a madrugada de quinta-feira, 9. As vítimas foram baleadas em um intervalo de cerca de seis horas, em pontos que ficam aproximadamente a cinco quilômetros de distância um do outro.

O último crime foi uma chacina na Rua Arley Gilberto de Araújo, na região do Jaçanã. Por volta das 3h15, moradores ouviram o barulho de diversos disparos e chamaram a Polícia Militar. Os policiais encontraram três vítimas: Bárbara Cristina de Andrade, de 28 anos, Elias Menezes dos Santos, de 21, e José Rodrigues Silva de Lima, também de 21, que era cadeirante.

O crime aconteceu em frente a uma padaria, próximo a um lugar onde, segundo a Polícia Civil, funciona um ponto de venda de droga. Por se tratar de uma chacina, o caso será investigado pelo Departamento Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Os policiais foram até o estabelecimento comercial para recolher imagens do circuito de segurança, mas o proprietário informou que o sistema estava desligado.

Horas antes, o pedreiro Edivan Gonzaga dos Santos, de 39 anos, havia sido assassinado a tiros na Rua Professor Ubaldo de Maio, próximo dali. Por volta das 21h, ele estava dentro do carro, um Fiat Doblô, chegando em casa, quando foi surpreendido pelos criminosos. Quatro disparos atingiram o vidro do motorista.

Santos chegou a ser socorrido ao Hospital São Luiz Gonzaga, mas não resistiu. De acordo com a Polícia Civil, a vítima era ex-presidiário e havia cumprido pena de quatro anos por ter matado um morador da região. Aos policiais, a mulher dele disse não saber se o pedreiro vinha recebendo ameaças.

Pouco depois, por volta das 23h30, outro homem, de 18 anos, foi baleado no abdome, na Rua Gabriel Martins, por quatro suspeitos em duas motos. Ele também foi socorrido para o Hospital São Luiz Gonzaga. Na noite desta quinta, a polícia não tinha informações sobre seu estado de saúde.

Violência. Há duas semanas, criminosos abriram fogo contra um grupo de pessoas que estava na frente de um bar no Jaçanã. Uma das vítimas, Marcos Nunes Pereira Pinto, de 17 anos, chegou a ser socorrida, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. Outros quatro rapazes - dois deles, irmãos - ficaram feridos. O ataque aconteceu um dia após o cabo da PM Spencer Willian Ferreira de Almeida, de 44 anos, ser morto com mais de 20 tiros na frente de casa.

Mais conteúdo sobre:
Violência São Paulo Jaçanã

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.