Associação Comercial de SP recomenda retirada de caixas eletrônicos

Entidade sugere medida a lojas que se sentirem ameaçadas por grande número de assaltos

Marcela Gonsalves, Central de Notícias

24 de maio de 2011 | 14h57

SÃO PAULO - A grande quantidade de assaltos a caixas eletrônicos em estabelecimentos comerciais fez com que o presidente da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), Rogério Amato, recomendasse aos comerciantes a retirada dos caixas caso se sintam ameaçados.

 

Segundo Amato, muitos estabelecimentos já estão colocando lonas pretas sobre as máquinas para não chamar a atenção. Ele acredita que se esse tipo de roubo continuar, a tendência é que os dono de negócios acabem renegociando com os bancos a permanência dos caixas.

 

A questão do prejuízo também não está bem resolvida, observa Amato. Como não há normas específicas sobre o tema, os comerciantes não segurados provavelmente terão que cobrir os danos.

 

Insegurança. No dia 12, um levantamento obtido pelo Jornal da Tarde mostrou que os casos de roubos a caixas eletrônicos têm crescido mês a mês. Em janeiro, na capital, foram registrados seis casos. No mês seguinte, foram 17; em março, 19; em abril, 20. Só nos primeiros 11 dias deste mês, houve sete ataques.

 

Os dados apontam que, em média, um caixa é roubado por dia em São Paulo. Em uma em cada quatro ocorrências os criminosos usaram explosivos.

 

Os bancos são o principal alvo dos bandidos, de acordo com o levantamento: 54 dos 122 casos foram ataques a agências bancárias. Depois, vêm os mercados (24), postos de gasolina (14), interior de empresas (12), entre outros locais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.