Assembleia aprova Orçamento de Alckmin para 2014

A Assembleia Legislativa de São Paulo aprovou na noite de ontem o Orçamento de R$ 188,9 bilhões do governo Geraldo Alckmin (PSDB) para 2014, ano em que o tucano tentará a reeleição. O montante é 9% maior do que orçamento deste ano.

Fabio Leite, O Estado de S.Paulo

20 Dezembro 2013 | 02h03

O projeto prevê mais da metade dos investimentos para as áreas de transporte público, rodovias e habitação. Serão R$ 7,4 bilhões na expansão das linhas de trem e metrô e R$ 5,4 bilhões em estradas. Após dois anos sem inaugurações, Alckmin pretende entregar estações em quatro linhas na capital. Além disso, o governo conta com R$ 5,3 bilhões de investimento privado por meio das Parcerias Público-Privadas (PPP).

Votaram contra a proposta as bancadas do PT, PSOL e PC do B, que criticaram redução de investimentos em programas nas áreas de Saúde, Educação e Cultura. "É um projeto antissocial e antidemocrático", disse o deputado estadual Carlos Gianazzi (PSOL).

Além dos R$ 162 milhões em emendas incorporadas esta semana à proposta enviada por Alckmin, os parlamentares distribuíram outros R$ 32 milhões em seis órgãos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.