Márcio Fernandes/AE
Márcio Fernandes/AE

Assassino da Oscar Freire é transferido para delegacia no centro de SP

Com prisão temporária decretada, Lucas Rosseti foi levado para carceragem do 77ºDP

Ricardo Valota, estadão.com.br,

31 de agosto de 2011 | 05h02

SÃO PAULO - Com a prisão temporária decretada, o estudante Lucas Cintra Zanetti Rosseti, de 21 anos, suspeito de ter assassinado o analista de sistemas Eugênio Bozola, de 52 anos, e o modelo Murilo Rezende da Silva, de 21 anos, dentro do apartamento de uma das vítimas na Oscar Freire, nos Jardins, zona sul de São Paulo, deixou o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) à 1h30 da madrugada desta quarta-feira, 31, e foi transferido para a carceragem do 77º Distrito Policial, de Campos Elísios, região central, onde deve ficar por pelo menos 30 dias.

 

O advogado de Lucas, na saída do DHPP, afirmou que o estudante agiu em legítima defesa, que levou uma máquina fotográfica pois havia fotos dele nela e que usou o carro da vítima pois achou que deveria deixar o local rapidamente e para isso teria que usar o carro, mas não teve a intenção de roubá-lo. O depoimento ao delegado Maurício Guimarães durou 10 horas. Lucas confessou ter matado o analista de sistemas, mas alegou legítima defesa. Ele negou que tenha assassinado também o modelo  e afirmou que foi Bozola quem matou Silva.  o analista quem o matou.

 

Bozola e Silva foram mortos a facadas na semana passada no apartamento em que viviam na Rua Oscar Freire. Rosseti era hóspede no apartamento e disse ao depor que ele e Silva foram dopados por Bozola. Quando acordou, o estudante teria visto o analista de sistemas esfaqueando o modelo. Com medo de ser a próxima vítima, tentou fugir e foi perseguido, momento em que pegou uma faca de cozinha e matou o analista de sistemas. Ele não explicou os motivos que levariam o analista de sistemas a matar o colega de apartamento.

 

De acordo com a polícia, a versão é fantasiosa e foi o próprio estudante quem assassinou os dois homens. Para o delegado do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) Mauricio Guimarães Soares, o duplo homicídio vai ser comprovado. "Temos provas circunstanciais e técnicas que derrubam essa versão apresentada por ele", disse.

 

Em princípio, Rosseti vai ser indiciado por latrocínio (roubo seguido de morte). Ontem, 30, a polícia fez buscas na casa em que Rosseti estava hospedado em Sertãozinho, no interior do Estado, e encontrou roupas e tênis de grife que pertenciam ao analista de sistemas morto na Oscar Freire. O estudante fugiu levando o carro de Bozola após o crime./ Com reportagem de William Cardoso, de O Estado de S. Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.