Assaltos na zona oeste deixam um jovem morto e outro ferido

Em Pinheiros, atendente de padaria foi vítima de latrocínio na saída do trabalho; em Perdizes, estudante da PUC levou tiro no pescoço a uma quadra da universidade

Caio do Valle e Nataly Costa, O Estado de S. Paulo

15 Maio 2013 | 13h09

SÃO PAULO - Em um intervalo de três horas e a apenas 4,5 km de distância, um jovem foi morto e outro foi baleado por assaltantes na zona oeste da cidade na noite de terça-feira, 14. Os casos aconteceram em Perdizes e Pinheiros e ninguém foi preso.

Em Perdizes, um estudante de 23 anos da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) levou um tiro no pescoço depois de sofrer um assalto a uma quadra do câmpus da universidade em Perdizes, por volta das 20h25. B.P.R., que cursa Relações Internacionais, passou por cirurgia no Hospital das Clínicas e seu estado de saúde era estável na manhã desta quarta, 15.

Horas depois, em Pinheiros, por volta das 23h50, o atendente de lanchonete Ediomar dos Reis, de 22 anos, morreu após um assalto na esquina das Ruas Artur de Azevedo e Antônio Bicudo. Segundo a polícia, ele trabalhava em uma padaria do bairro e estava caminhando para pegar o ônibus até sua casa, em Taboão da Serra, na Região Metropolitana de São Paulo.

Assaltos e latrocínios. O caso de Pinheiros é o primeiro latrocínio (roubo seguido de morte) registrado na região do 14º DP desde agosto de 2011, segundo números da Secretaria de Segurança Pública. Em Perdizes, os casos de roubo na área do 23º DP aumentaram 8% no primeiro trimestre de 2013 em relação ao mesmo período do ano passado.

Mais conteúdo sobre:
pucassaltoperdizes

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.