Assalto termina com 3 mortos e 1 ferido na zona sul de SP

Uma das vítimas fatais reagiu ao assalto e foi baleada; as outras duas foram atropeladas durante a fuga

Ricardo Valota, do estadão.com.br; e Andressa Zanandrea, do Jornal da Tarde,

31 de julho de 2008 | 03h47

Três pessoas foram mortas por um criminoso na região do Jabaquara, na Zona Sul, no fim da tarde de quarta-feira, 30. O primeiro foi um gerente comercial, baleado na cabeça em uma tentativa de assalto. Em seguida, o ladrão, que fugiu em um Corsa sedan, perdeu o controle do carro e atropelou dois homens. O bandido acabou por bater contra uma caçamba de entulho, em frente a um ferro-velho. Ferido, foi detido e levado ao Hospital Municipal Arthur Ribeiro Saboya.     A suposta tentativa de assalto ocorreu por volta das 17h30, na esquina das ruas Dr. Djalma Pinheiro Franco e das Ameixeiras. O gerente comercial Paulo Sérgio Vilela, de 39 anos, havia acabado de sair da Rocktec, empresa de isolantes térmicos onde trabalhava, a cerca de cem metros dali. Ele estava em um Clio e teria reagido ao ser abordado pelo bandido, armado com um revólver calibre 38. O criminoso identificado como Alexandre da Silva, de 23 anos, atirou contra a cabeça de Vilela e fugiu, correndo.   Um motoqueiro que passava pelo local presenciou o crime e acionou uma viatura da Polícia Militar a poucas quadras dali. Os policiais, então, foram até o local e viram quando o bandido, com a arma na mão, entrou pela porta do passageiro de um Corsa sedan prata. Em seguida, começou uma perseguição.   Na Rua Contos Gauchescos, próximo à Rua Alto do Bonfim, o dono do carro, identificado como Denílson da Silva, puxou o freio de mão e parou o veículo. Ele teria saído do carro, com as mãos para cima, pedido socorro e afirmado que era vítima. Em seguida, chegou uma segunda viatura da PM para prestar apoio. O bandido teria dito aos policiais que se recusava a ser preso e começou uma troca de tiros.   Após atirar contra os policiais, o criminoso voltou para o carro e assumiu o volante.   A perseguição só terminou na Rua Antônio Alves Teixeira, onde perdeu o controle do veículo em uma curva, atropelou dois homens e foi obrigado a parar após bater o carro contra uma caçamba de entulhos.   No atropelamento, o carroceiro José Soares Silvestre da Silva, 50 anos, morreu na hora. O também carroceiro Edmilson de Sá, 33, chegou a ser levado ao Hospital Saboya, mas morreu quando passava por uma cirurgia. O assaltante sofreu várias fraturas e está internado no mesmo hospital. O revólver usado pelo bandido na ação foi apreendido.   Segundo a polícia, após se livrar do ladrão, Denílson da Silva teria ligado para o dono da Rocktec para avisar que a região estava perigosa. Um advogado da empresa disse que ele trabalhou na Rocktec por sete anos, de onde foi demitido em fevereiro: Paulo Vilela teria descoberto desvios de dinheiro e mercadorias supostamente feitos pelo funcionário, que trabalhava em um cargo subalterno ao do gerente comercial.     Familiares de Paulo Vilela consideram que há muita coincidência entre a morte dele e Denílson da Silva estar passando, de carro, poucos minutos depois e a poucos metros do local do crime. A polícia vai investigar o caso, registrado no 35º Distrito Policial, do Jabaquara.

Tudo o que sabemos sobre:
assaltofugapolícia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.