Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Assalto provoca pânico em shopping e deixa um policial militar ferido

Comerciantes e clientes ficaram trancados durante duas horas dentro das lojas do Plaza Sul, enquanto a PM fazia uma varredura em busca dos seis suspeitos de participar de roubo a lojas

Fabiana Cambricoli, Laura Maia e Luciano Bottini Filho, O Estado de S.Paulo

25 Novembro 2013 | 18h40

Atualizada às 22h50

SÃO PAULO - Um policial militar à paisana levou um tiro de raspão na cabeça durante um assalto a uma loja do Shopping Plaza Sul, no Jardim da Saúde, zona sul de São Paulo, no fim da tarde desta segunda-feira, 25. O PM foi internado, mas não corre risco de morte. Durante duas horas, comerciantes e clientes ficaram trancados dentro das lojas, enquanto a Polícia Militar fazia uma varredura em busca dos seis suspeitos de participar da ação. Até as 21h30 de segunda, ninguém havia sido preso.

O alvo do roubo foi uma loja de roupas e acessórios de surf localizada no piso térreo do centro comercial. Os seis assaltantes, um deles vestindo terno, levaram 58 óculos de sol, roupas, tênis e uma pequena quantia em dinheiro do caixa da loja. "Foi praticamente um arrastão dentro da loja", disse um funcionário da Surfer's Paradise que não quis se identificar.

Sete funcionários estavam no local quando os bandidos entraram. Segundo testemunhas, cinco rapazes, aparentando ter entre 17 e 23 anos, se apresentaram como clientes e pediram para experimentar algumas peças de roupa. Em seguida, anunciaram o assalto e passaram a recolher as peças pela loja. Pelo menos três deles estavam armados. Um cliente que entrou na loja após a chegada do grupo foi agredido com um tapa no rosto.

Um sexto integrante do bando ficou do lado de fora para dar cobertura à quadrilha. Foi ele quem avisou os comparsas sobre a chegada dos seguranças.

Durante a fuga, os bandidos atiraram no policial Getúlio Alves da Silva, de 23 anos, que já estava do lado de fora do shopping. A Polícia Militar não soube informar se ele fazia bico como segurança no local ou se era apenas um cliente do centro comercial.

Disparo. Ainda segundo a corporação, o policial não chegou a revidar. Apenas um tiro foi disparado e ainda não se sabe o motivo que levou o policial ser atingido. Alguns comerciantes, porém, relataram ter ouvido o barulho de mais de um disparo. "Só vi os seguranças gritando para fecharmos as portas e, logo depois, o barulho de dois tiros", disse Daniel Kitamura, de 31 anos, vendedor de uma joalheria do centro comercial.

De acordo com o capitão João Alves Cangerana Júnior, que comandou a ação da PM no local, dois bandidos saíram pela porta principal do shopping.

Os demais teriam ficado dentro do estabelecimento, se passando por consumidores. Diante dessa suspeita, clientes e funcionários ficaram trancados nas lojas até que a polícia fizesse uma varredura no centro comercial.

"Foi muito tenso, ninguém podia sair da loja. Muita gente correndo e fechando as portas. Não vi os criminosos, mas vi muito policial", disse Gislene Menezes, consultora de viagens de uma agência de turismo localizada no mesmo piso onde ocorreu o assalto.

Durante o período da varredura, que durou duas horas, os clientes que quiseram sair de carro do local tiveram seus veículos revistados. A operação policial foi iniciada no terceiro piso e durou até as 19h40, quando o acesso ao shopping foi liberado. As lojas, porém, permaneceram fechadas e devem ser reabertas somente nesta terça-feira, 26.

"Acredito que eles tenham saído pelo estacionamento, mas ainda não tenho certeza, porque não vimos as imagens", disse o capitão Cangerana Júnior. Participaram da ação policiais das Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota), do Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos (Garra), do Grupo de Operações Especiais (GOE), além de dois helicópteros Águia da PM.

O caso foi encaminhado para o 16.º DP (Vila Clementino), onde foi registrado como roubo e tentativa de homicídio.

A Polícia Civil suspeita de que a mesma quadrilha tenha assaltado uma loja de surf no Shopping Metrô Santa Cruz na última sexta-feira, 22. A assessoria do Shopping Plaza Sul ressaltou que não houve outros feridos nem reféns.

Mais conteúdo sobre:
shoppingpolicial baleadopm

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.