Assalto à mansão de Ricardo Mansur deixa um morto em SP

Ex-dono do Mappin não estava no local no momento do assalto; vigia da casa ficou ferido após ser amarrado

Ricardo Valota, do estadao.com.br,

08 de dezembro de 2007 | 16h12

Uma pessoa morreu e outra ficou ferida durante o assalto à mansão de Ricardo Mansur, ex-dono do Mappin, durante a madrugada deste sábado, 8. Mansur, segundo a polícia, está viajando e não encontrava-se na casa, que fica no Morumbi, na zona sul de São Paulo.   O imóvel foi invadido por volta da 0h15 por pelo menos dois homens, que reviraram toda a casa e só teriam levado dois dos três carros que estavam na garagem, um GM Blazer Advantage preta e um Toyota Camry; os carros foram encontrados na Casa Verde, na zona norte da capital. O porteiro da casa, Nivaldo de Quadros Pimentel, de 50 anos, a única testemunha viva do caso, afirmou que foi amarrado pelos bandidos, mas não soube dizer à polícia como a dupla entrou na mansão.   Em seu depoimento à polícia, Nivaldo se contradisse ao afirmar que tinha sido amarrado com fios de cobre, mas, depois, relatou que os bandidos haviam usado cordas para prendê-lo. O porteiro estava ensangüentado quando a Polícia Militar chegou no local. Nivaldo trocou de roupa e foi até a delegacia. O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) agora vai investigar também porque somente o copeiro foi morto pelos assaltantes.   Segundo a polícia, a mansão de Mansur fica a menos de 300 metros de outra mansão que, no último dia 20, sofreu uma tentativa de assalto. Naquela manhã, o vigilante da casa trocou tiros com dois bandidos. Um dos assaltantes e o funcionário do imóvel ficaram feridos, o outro suspeito conseguiu fugir. A polícia também investiga se nos dois casos podem estar envolvidos integrantes de uma mesma quadrilha que age na região.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.