Reprodução
Reprodução

Assalto a carro-forte deixa vigilante morto em Carapicuíba

Uma quadrilha atacou o veículo quando os funcionários desembarcavam com dinheiro e fugiram com uma quantia não revelada. A polícia investiga o caso e até agora ninguém foi preso

Marco Antônio Carvalho, O Estado de S.Paulo

30 Maio 2018 | 20h32

SÃO PAULO - Um assalto contra um carro-forte terminou com um vigilante morto a tiros na tarde desta terça-feira, 29, em Carapicuíba, na região metropolitana de São Paulo. Uma quadrilha atacou o veículo quando os funcionários desembarcavam com dinheiro e fugiram com uma quantia não revelada. A polícia investiga o caso e até agora ninguém foi preso.

Veja o vídeo

+++ Delegado da Polícia Federal é morto durante assalto no Morumbi

De acordo com informações da Secretaria da Segurança Pública do Estado de São Paulo, o carro-forte entregaria valores a um caixa eletrônico no interior de um mercado na Avenida Comendador Danta Carraro, na Vila Helemar. Por volta das 15h, quandos os vigilantes desceram do veículo com um carrinho, uma quadrilha formada por quatro homens armados e mascarados - um deles com a máscara do Guy Fawkes - chegaram atirando. Os disparos atingiram Sérgio Souza Aguiar, de 38 anos.

+++ Homem toma choque e sofre queimaduras ao 'surfar' em trem da CPTM em Carapicuíba

A Polícia Militar foi acionada e encontrou Aguiar ferido no chão do mercado e o encaminhou ao pronto-socorro do Hospital Geral de Carapicuíba, mas ele não resistiu à gravidade dos ferimentos. Imagens de câmeras de segurança vizinhas mostram o momento em que a quadrilha chega ao local com armas longas e atira para conseguir fugir com o dinheiro. De acordo com testemunhas, eles chegaram em dois carros e uma moto; um dois veículos foi encontrado e encaminhado para perícia. 

+++ Caminhoneiro é morto com pedrada na cabeça em rodovia de Rondônia

Outros vigilantes que participavam do abastecimento ao caixa eletrônico conseguiram se proteger e não se feriram. O caso foi registrado como latrocínio no 1º Distrito Policial de Carapicuíba, que instaurou inquérito para investigar o caso. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.