Árvore vira local de romaria no DF

Peregrinos levam até potes para recolher espuma

Brasília, O Estado de S.Paulo

10 Maio 2013 | 02h05

A seiva de uma árvore nos arredores de Brasília se tornou um fenômeno religioso que está atraindo centenas de pessoas. Desde sexta-feira, fiéis se posicionam sob a árvore sucupira localizada na Chácara da Gruta, no Condomínio Sol Nascente, na cidade satélite de Ceilândia.

Naquela que é considerada a maior favela do Distrito Federal, os peregrinos se postam no local para serem atingidos pelas gotas da substância, que teria poderes milagrosos, capazes de curar qualquer tipo de doença.

Os supostos poderes da árvore foram propagandeados pelo padre da Igreja Ortodoxa Ribamar Rodrigues Dias, que afirmou que a seiva seria, na verdade, gelo que derreteria durante sete dias, um símbolo da aparição de Nossa Senhora no local. A versão se alastrou pela favela e agora atrai gente de todo o Distrito Federal.

Procissão. Na peregrinação ao local, fiéis levam garrafas e até potes de sorvete para coletar as gotas que caem da espécie de esponja branca que brotou na sucupira. Para eles, o líquido que escorre dos galhos curaria doenças.

Na sexta-feira passada, parte do galho embranqueceu, aparentando um bloco de gelo, e depois disso goteja a seiva. A versão da árvore miraculosa se espalhou e cerca de 200 pessoas já passaram pelo local para rezar com os olhos voltados para a seiva.

Procurado pela TV Globo para explicar o fenômeno, o biólogo Kimiti Kitayama disse que a espuma que sai do galho é o que sobra da digestão de uma espécie de cigarra. Segundo ele, o processo leva de sete a dez dias.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.