Árvore cai no centro e fere nove pessoas

Três carros também foram atingidos; energia elétrica foi cortada em parte da José Paulino

PAULO SAMPAIO, O Estado de S.Paulo

11 Novembro 2011 | 03h04

Parte de uma árvore de grande porte caiu ontem, por volta das 18 horas, sobre nove pessoas e três carros na calçada do Parque da Luz, na região central.

Segundo a Defesa Civil, os atingidos foram levados para a Santa Casa e para os Hospitais Vergueiro e São Camilo com escoriações. Eles começaram a ser atendidos na rua.

A funcionária pública Maria Luiza da Silva, de 57 anos, conta que soube que a filha havia sido atingida quando a viu na televisão, sendo socorrida. Funcionária de uma confecção do Bom Retiro, Sandra Regina da Silva, de 27, foi levada para a Santa Casa e submetida a uma tomografia. Às 22 horas de ontem, ela permanecia em estado de observação.

Pela TV. "Foi meu filho que reconheceu a irmã, quando a viu em uma maca, na TV, e me chamou", conta Regina, ainda muito nervosa.

A passadeira Gisele Figueiredo, de 42 anos, também funcionária de confecção, conta que acompanhou o gerente de loja Roberto Alves da Silva, de 33, até o hospital.

"Ele ficou todo ralado e se queixava muito de dores no ombro. Agora estou esperando notícias." Gisele conta que chegou ao local pouco depois de a árvore cair.

Às 21 horas, os donos dos três carros atingidos ainda aguardavam a chegada da Polícia Civil, para fazer a perícia.

O representante de vendas Ricardo Ribeiro, de 38 anos, conta que, com o susto, deixou seu Palio ligado.

"Estava com minha mulher e meu filho dentro carro. Só deu tempo de levantar e sair andando", lembra. "Vou entrar com uma ação contra a Prefeitura para tentar ser ressarcido pelo valor da franquia do seguro. Sei que demora, mas meu filho recebe por mim", disse, rindo.

Já o comerciante Jang Eun Bouca, de 47, olhava desconsolado para seu Hyundai Azzera, de cerca de R$ 100 mil, o mais atingido dos três. "Meu carro não tem nem um ano", lamentava.

Até as 21h, a Eletropaulo e os bombeiros também aguardavam a perícia para poder serrar os galhos que interditaram parte da via, próxima ao início da Rua José Paulino, no Bom Retiro.

Às escuras. Um trecho da rua, conhecida pelo comércio de roupas e tecidos, ficou no escuro. Com o desabamento de parte da árvore sobre a fiação da rua, a Eletropaulo precisou interditar aquele trecho para reestabelecer a iluminação das redondezas.

Munidos de equipamento para serrar os galhos, os bombeiros contavam também com a chegada de uma escada que facilitasse o alcance da parte mais alta da árvore. Segundo eles, trata-se de uma guapuruvu, que chega a alcançar 30 metros de altura.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.