Arrastão em prédios chega ao litoral

Em ataque a condomínio na Praia Grande, quadrilha algemou comerciante de 58 anos e invadiu nove apartamentos; ninguém foi preso

GIO MENDES, O Estado de S.Paulo

16 de junho de 2012 | 03h03

Assaltantes fizeram arrastão em um prédio residencial da Praia Grande, litoral sul de São Paulo, na madrugada de ontem. Eles algemaram um comerciante de 58 anos, dono de um dos apartamentos, e arrombaram outros oito imóveis. Os criminosos permaneceram cerca de duas horas no Edifício Hugo Navarro Flat Service, que tem 19 andares, cada 1 com 4 apartamentos.

De acordo com a polícia, dois ladrões pularam o muro do prédio, na Avenida Presidente Castelo Branco, no bairro Vila Mirim, por volta da 0h30. Os bandidos renderam o porteiro de 25 anos e depois abriram a garagem para a entrada de cinco comparsas. Segundo o capitão Marcelo das Graças de Souza, da Polícia Militar, o porteiro não conseguiu ver o carro usado pela quadrilha. Assaltantes viram uma Toyota Hilux estacionada na garagem e ordenaram que o porteiro os levasse até o apartamento do dono do veículo. A vítima, que tem uma loja de material de construção em Osasco, na Grande São Paulo, foi dominada no 18.º andar, ao abrir a porta para atender o porteiro.

O bando roubou do apartamento do comerciante R$ 4,5 mil em dinheiro, dois celulares e um aquecedor, entre outros objetos. Segundo funcionários, 73 apartamentos só são ocupados pelos donos na alta temporada ou nos fins de semana. Por isso, os bandidos começaram a arrombar alguns imóveis com um pé-de-cabra.

Eles conseguiram entrar em oito apartamentos, segundo o chefe dos investigadores do 2.º DP da Praia Grande, Adriano de Mattos. "As vítimas compareceram à delegacia ao longo do dia e informaram que foram levados televisores dos apartamentos arrombados", disse Mattos.

Depois de roubar o apartamento do comerciante, dois ladrões desceram até a guarita do prédio com o porteiro. O objetivo dos bandidos era que, caso passasse alguma viatura da polícia, ninguém desconfiasse da ausência do funcionário na portaria. Os criminosos ficaram agachados na guarita, exigindo que o porteiro agisse normalmente.

Antes de fugir, os bandidos destruíram as câmeras de segurança do prédio e roubaram o equipamento onde as imagens gravadas ficam armazenadas. Os criminosos usaram um par de algemas para prender o comerciante na escadaria do térreo. O porteiro foi orientado pelos criminosos a subir até o último andar e aguardar por cerca de meia hora. A Polícia Militar foi avisada do roubo às 2h40.

Segundo o capitão da PM, a polícia está verificando as câmeras da prefeitura da Praia Grande para tentar identificar o carro usado pelos criminosos na fuga. "Esperamos que alguma câmera mostre algum veículo deixando o local antes do horário em que fomos acionados."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.