Área é declarada de utilidade pública para construção de linha de trem entre Cumbica e SP

Terrenos a serem desapropriados somam 43 mil metros quadrados e ficam na capital paulista e em Guarulhos; obra está atrasada

O Estado de S. Paulo

23 Julho 2013 | 15h56

SÃO PAULO - O governo do Estado declarou de utilidade pública nesta terça-feira, 23, uma área de 43 mil metros quadrados na capital paulista e em Guarulhos, na Grande São Paulo, para a construção da Linha 13-Jade da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). A medida foi publicada no Diário Oficial do Estado.

O ramal, que ligará a zona leste ao Aeroporto Internacional de Cumbica, está atrasado em relação ao cronograma anunciado originalmente pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB). Em dezembro, ele disse que as obras começariam em março deste ano.

Mas, por enquanto, a CPTM informa apenas que a licitação para as obras "está em processo final". Em nota, a empresa disse que, no dia 30 deste mês, "as empresas já pré-qualificadas entregarão os envelopes com as propostas comerciais e serão escolhidas as melhores ofertas".

A previsão de inauguração do ramal é o fim do ano que vem. A GRU Airport, que administra Cumbica, divulgou no ano passado que construirá um sistema de transporte interno - monotrilho ou veículo leve sobre trilho (VLT) - no aeroporto, ligando-o à estação terminal da Linha 13, que ficará ao lado do Terminal 4, na Rodovia Hélio Smidt, o de menor movimento de passageiros.

Orçada em R$ 1,2 bilhão, a Linha 13-Jade terá 11 km de comprimento e três estações: Engenheiro Goulart, ligada à parada homônima que já existe na Linha 12-Safira da CPTM, Guarulhos-Cecap e Aeroporto. Por dia, circularão pela linha 120 mil passageiros, em média, segundo projeções da empresa.

Mais conteúdo sobre:
Linha 13-JadeCPTMCumbica

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.