Área de duty-free dobrará para facilitar as compras

Um viajante decidido vai poder comprar nos free shops do Aeroporto de Cumbica em até 10 minutos. Essa é a meta anunciada ontem pela Dufry, empresa dona das lojas de duty-free de Guarulhos. Das nove existentes hoje no aeroporto, sete serão remodelas e duas serão ampliadas para dar mais conforto aos passageiros e, principalmente, mais agilidade nas compras. A loja do embarque do Terminal 2, que hoje tem 385 m², passará a ter uma área de 1.100 m². A do desembarque do mesmo terminal, com 1.500 m² atualmente, dobrará de tamanho - chegará a 3.100 m².

O Estado de S.Paulo

17 de novembro de 2012 | 02h03

Ao todo, a ampliação de área representa um ganho de 50% no espaço das duas lojas. "A loja do embarque hoje tem menos de um terço do tamanho necessário. O novo duty free de Guarulhos será um divisor de águas para esse tipo de comércio, uma das maiores lojas francas do mundo", disse Julian Diaz, diretor-presidente da Dufry.

A previsão é de terminar as obras e inaugurar as duas novas lojas em abril do ano que vem. A ideia de ampliar as duas principais lojas apenas no Terminal 2 é estratégica - nos planos da GRU Airport, o Terminal 1 será apenas doméstico em um futuro próximo, e não valeria a pena fazer uma reforma grande em lojas que podem até deixar de existir. Já o Terminal 2 vai sempre abrigar voos para fora do País - deve concentrar as viagens para a América do Sul operadas pelas companhias nacionais.

No terceiro terminal, que está sendo projetado para ter voos exclusivamente internacionais, ainda não foi definida a empresa que vai operar as lojas de free shop. Um maior mix de marcas, sobretudo as de luxo, também deve chegar ao aeroporto, como Ferragamo e Ermenegildo Zegna. Outras, como Hermès, MAC e Victoria Secrets, vão deixar de ter apenas alguns produtos nas prateleiras para se transformarem em lojas completas, com coleções inteiras disponíveis.

Áreas de "escape" para alimentação e café também estão previstas no meio da loja. "As mulheres são 80% da clientela, mas os homens não deixam de comprar também".

Terminal 4. Desde o dia 6, as chegadas e partidas da Azul e da Trip - agora uma só empresa - estão sendo operadas no Terminal 4, antes exclusivo da Webjet. A mudança está bem sinalizada em placas dentro e fora do aeroporto.

Com a compra da Webjet pela Gol e a unificação das operações, a Webjet deve sair do Terminal 4 e os voos da empresa voltam para o Terminal 2. A ideia era que a Gol fosse para o Terminal 4, o que não se concretizou. / N.C

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.