Sérgio Castro/Estadão
Sérgio Castro/Estadão

Área alvo de reintegração de posse é de risco, afirma Haddad

Prefeito de São Paulo diz que engenheiros vistoriaram local na zona oeste da capital paulista e que não há como manter as famílias 'naquela barranqueira' 

Felipe Resk, O Estado de S. Paulo

25 Julho 2016 | 13h42

SÃO PAULO - O prefeito Fernando Haddad (PT) afirmou nesta segunda-feira, 25, que as famílias que ocupam o terreno na Cidade Educandário que é alvo de reintegração de posse precisam ser retiradas porque estão em uma área de risco.

"Os engenheiros que avaliam o risco entenderam que não havia como manter, naquela barranqueira,  as famílias", afirmou o prefeito após evento na Prefeitura. "Se não fosse cumprida ordem judicial, qualquer advento - solapamento,  desmoronamento - seria imputada a responsabilidade para a Prefeitura."

Haddad disse que foi procurado por moradores do local durante o lançamento da sua candidatura para reeleição, neste domingo, 24, e foi avisado que haveria resistência. "Liguei para a subprefeitura e disse para ponderar a oportunidade da reintegração", afirmou.

Haddad também disse não saber qual uso pode ser dado ao terreno. "O terreno é um barranco. Não sei qual o uso pode ser dado. Uma coisa parece certa: não se presta à habitação daquela maneira como foi ocupada." 

No fim do evento em que assinou a sanção para alterar o nome do Minhocão para Elevado Presidente João Goulart - substituindo a homenagem a Costa Silva, presidente do Brasil durante a ditadura militar -, Haddad foi avisado sobre a detenção do ex-senador e ex-secretário municipal Eduardo Suplicy, pelo secretário estadual de Segurança Pública, Mágino Barbosa Filho. "Ele me informou do ocorrido, dizendo que estavam alinhados conosco para evitar qualquer tipo de conflito com a comunidade."

Mais conteúdo sobre:
Fernando Haddad Minhocão Eduardo Suplicy

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.