Tiago Queiroz/ Estadão
Tiago Queiroz/ Estadão

Arco-íris ilumina Avenida Paulista para celebrar Parada LGBTQIA+

É a primeira vez que a intervenção Global Rainbow é apresentada no Brasil; evento será virtual por causa de pandemia

Paula Felix, O Estado de S.Paulo

14 de junho de 2020 | 20h10

O arco-íris que ilumina o céu nas imediações da Avenida Paulista na noite deste domingo, 14, é parte das celebrações da Parada do Orgulho LGBTQIA+, que, pela primeira vez em 24 anos, está sendo realizada de forma virtual por causa da pandemia do novo coronavírus.

Com alcance de 60 quilômetros, a intervenção Global Rainbow, da artista porto-riquenha Yvette Mattern, poderá ser vista ainda nos bairros dos Jardins, Cerqueira César, Bela Vista, Consolação, Sumaré, Perdizes, Pompeia, Vila Anglo, Lapa e Parque São Domingos, dependendo das condições climáticas dessas regiões.

Desde 2009, a intervenção já foi vista em Nova York, Berlim e em algumas cidades da França.  É a primeira vez que ela é apresentada no Brasil.

Yvette conta que o público costuma reagir de forma "extremamente positiva" diante da atração. "O trabalho é monumental em escala, mas também é muito silencioso, poético e espiritual. Espero que a apresentação seja bonita, poderosa e impactante para a Parada." Ela só lamenta não poder acompanhar o evento.

A iluminação ficará visível das 19h às 22h com alguns intervalos e é promovida por uma marca de salgadinho. "Desde 2017, Doritos Rainbow vem fazendo uma parceria com a Parada, que é a maior do mundo, para ampliar a voz da comunidade e oferecer um aporte financeiro para que o movimento conquiste mais espaço. A gente quer aumentar a rede de apoio e espalhar o amor diante do cenário atípico que estamos vivendo", explica Daniela Cachich,  vice-presidente de Marketing da PepsiCo Foods no Brasil.

A iniciativa também tem o objetivo de fazer uma homenagem sem causar aglomerações. "Vamos trabalhar com equipe reduzida e todo aparato de segurança. Vai ter cobertura pelas redes sociais e, como tem essa distância, permite que as pessoas vejam em casa, protegidas. A pessoa consegue ver de um ângulo até mais bonito (em casa)."  A marca vai promover ainda uma corrente de beijos e, para cada beijo postado em uma plataforma que vai receber a ação, R$ 1 será doado. A meta é arrecadar 1 milhão de beijos para doar o valor para dez ONGs e instituições que apoiam a causa.

Vice-presidente da Associação da Parada do Orgulho GLBT de São Paulo (APOGLBTSP), Renato Viterbo diz que, com a impossibilidade de realização do evento na Avenida Paulista, tendo em vista o risco de infecção pela covid-19, uma versão virtual está sendo realizada desde as 14 horas e poderá ser vista em 12 canais no YouTube até as 22 horas.

"A gente não podia colocar a população em risco. Além da população LGBT, muitas famílias vão para a Parada. Temos de pensar na saúde das pessoas." Uma versão presencial pode ser realizada em novembro.

Segundo Viterbo, a Parada é exibida pela internet desde 2018 e, no ano passado, teve mais de 6 milhões de visualizações. "Devemos ter mais de 10 milhões de pessoas assistindo nos canais neste ano. Vai ficar na memória de todo mundo."

Receba no seu email as principais notícias do dia sobre o coronavírus

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.