''Aqui, só mora na rua quem quiser'', diz secretária

A secretária de Assistência Social de São José do Rio Preto, Ivani Vaz de Lima, diz que o município dá todas as condições para que moradores de rua voltem para suas casas ou sejam reinseridos na sociedade. "Aqui, só mora na rua quem quiser."

Chico Siqueira, O Estado de S.Paulo

31 Março 2011 | 00h00

Na cidade há duas casas de passagem (para pessoas que não são da cidade e não têm onde morar), pensão e albergue. E desde o começo do ano, um hotel reformado e batizado de Centro de Inclusão Solidária Nasce a Esperança (Cisne) está disponível para moradores de rua que têm família em São José do Rio Preto. "São moradores que têm famílias aqui e que por causa do álcool ou drogas passaram a morar na rua", explicou Ivani.

Eles podem ficar no hotel por até um ano. Hoje ali estão 13 moradores, mas outros 18 devem se hospedar nos próximos dias. A secretária disse que eles vão para o hotel após tratamento em clínicas de recuperação.

"Enquanto moram no hotel, eles reaprendem a conviver com a sociedade, passando por sessões de trabalho, terapias e alfabetização. Depois, se a família não os quiser de volta, eles estão prontos para procurar um trabalho e viver por conta própria."

Segundo a secretária, em dezembro a cidade tinha 180 moradores de rua residentes no município e cerca de 220 sem-teto não residentes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.