Aprovado projeto que limita entrada de veículos em Ilhabela

Somente 15 mil automóveis poderão entrar na cidade durante feriados prolongados e na temporada de verão

Simone Menocchi, do Estadão,

27 de novembro de 2007 | 18h40

Este será o último verão em que os carros poderão entrar e sair à vontade da cidade de Ilhabela, no Litoral Norte Paulista. A partir de março do ano que vem começa a vigorar uma lei, aprovada na segunda-feira, 26, pela Câmara Municipal, que pretende disciplinar o trânsito e restringe a entrada de veículos no município. De autoria do Executivo, o projeto de lei limita em 15 mil o número de carros na ilha durante feriados prolongados e na temporada de verão, período entre os meses de novembro e março. A partir desse número os carros serão proibidos de entrar na cidade. O controle ficará a cargo do Departamento de Trânsito do município que fará uma parceria com a Dersa, responsável pela travessia de balsa.  Por sete votos favoráveis, um contrário e uma abstenção, os vereadores aprovaram o projeto para combater o que chamam de "turismo de um dia", que traz prejuízos econômicos e ambientais, segundo os defensores da lei. "O direito de ir e vir não está sendo tirado de ninguém. A pessoa poderá entrar, mas não de carro", disse o vereador Joadir Capucho (PTB). "O importante é mostrar que a lei quer evitar os excessos e o caos no trânsito", completou.  Ilhabela tem uma malha viária muito restrita e uma frota de cinco mil carros. Uma única avenida liga os pontos turísticos e os extremos da cidade, não tendo ruas alternativas. Normalmente em feriados prolongados a cidade chega a receber 30 mil veículos. "A questão é física, não cabem mais veículos na cidade, não comporta. Estamos evitando que o excesso prejudique o próprio turismo", defendeu Capucho. A restrição deve estimular, segundo os próprios vereadores, a melhoria nos outros meios de transporte como de ônibus coletivo e táxis. A proposta foi inspirada em medidas semelhantes adotadas na Ilha do Mel (PR) e na ilha de Paquetá (RJ). "Todos os verões vivemos um caos na ilha", explica o prefeito. Hoje, cerca de 30 mil pessoas vivem no município. Alguns são proprietários de casas de praia e vão apenas nos finais de semana e nas férias. Segundo o prefeito, o projeto quer favorecer o turismo de qualidade. A regulamentação do uso da lei será feita por meio de um decreto municipal. Durante esta temporada de verão serão feitos estudos para saber como as pessoas que moram em Ilhabela serão identificadas, assim como os proprietários de casas na ilha. Também serão feitas contagens de quantos carros adentram na ilha para o turismo de um dia e outros aspectos do turismo na ilha. A idéia inicial é que a balsa tenha três guichês na fila: uma para moradores de Ilhabela e São Sebastião, outro para veranistas que têm casas na cidade ou turistas que tem hospedagem reservada e outro para turistas de um dia. Deve haver a criação de um selo para identificar. O projeto aprovado anteontem autoriza o ingresso de moradores, pessoas com endereço fixo, turistas com hospedagem reservada em hotéis ou pousadas, veículos com hora reservada pela Dersa, veículos de carga, sendo inferior a 15 mil toneladas. Ambulâncias, carros oficiais, carros-fortes, veículos de funerárias ou de limpeza urbana, também tem passagem livre. Quem desobedecer a nova lei, a partir de março, poderá ser multado em R$ 350.

Tudo o que sabemos sobre:
IlhabelaVeículos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.