Aposentado nega ter enterrado cadela por 12h

O aposentado Orlando Santos, de 59 anos, dono da cachorrinha de 4 meses que ficou 12 horas enterrada viva, negou à polícia ter tentado matá-la. Segundo ele, a cadelinha costumava fazer buracos no quintal de casa, em Novo Horizonte (SP). Na semana passada, Santos disse que viu o animal deitado em um buraco, sem se mexer, e então colocou folhas sobre ele, achando que estivesse morto. O delegado Luiz Fernando Ribeiro disse acreditar no aposentado. Perícia vai determinar se o buraco foi feito pelo cão.

O Estado de S.Paulo

14 Dezembro 2011 | 03h05

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.