Aposentado é preso por vender atestado médico falso

Venda ocorria na Praça da Sé e atestado para justificar um dia saia por R$ 20

20 de dezembro de 2007 | 18h52

O aposentado Everaldo Santos Santana, de 64 anos, acabou preso na manhã desta quinta-feira, 20, ao vender um atestado médico falso para um investigador do Departamento de Investigações sobre Crime Organizado (Deic), que havia simulado a compra.  O idoso era monitorado por policiais da Delegacia de Repressão a Roubo de Jóias, do Deic, desde quarta-feira, 19. Segundo a polícia, o esquema ocorria na Praça da Sé, no centro de São Paulo. O atestado para justificar um dia saia por R$ 20 e para dois dias, R$ 40. Santana recebeu voz de prisão quando entregava o falso atestado em um ponto de ônibus. Ele foi autuado por estelionato.  De acordo com o Deic, um operador de telemarketing, de 24 anos, que presenciou a detenção, revelou que também havia sido enganado pelo aposentado ao adquirir um atestado falso.

Tudo o que sabemos sobre:
atestado médicoaposentado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.