Aposentado é preso após matar um filho e balear outro em SP

O garçom Felipe Batista, de 19 anos, morreu com um tiro no peito disparado pelo pai, que também feriu filho mais novo após invadir a casa da ex-mulher, em Santa Cecília

O Estado de S.Paulo

12 Julho 2015 | 15h09

SÃO PAULO - O aposentado Inaldo Silveira Bastista, de 69 anos, foi preso em flagrante na manhã de sábado, 11, após atirar contra seus dois filhos e matar um deles dentro da casa da ex-mulher, em Santa Cecília, no Centro de São Paulo. O garçom Felipe Ferreira Silveira Batista, de 19 anos, foi atingido no peito com um tiro de revólver calibre 38. Ele chegou a ser socorrido ao hospital da Barra Funda, zona oeste, mas não resistiu. 

Segundo a Polícia Militar, por volta das 6h30, Bastista disse que precisava pegar umas ferramentas de marcenaria na casa e forçou sua entrada no imóvel, que fica na Rua Lopes de Oliveira. A ex-mulher do aposentado tinha conseguido na Justiça uma medida restritiva que o proibia de se aproximar do local, após episódios de violência doméstica. Os dois estão separados há cinco meses.

Felipe, o filho mais velho do casal, tentou impedir a entrada do pai e foi atingido com um disparo no peito. Na briga, o filho mais novo, um estudante de 16 anos, foi baleado na nádega. Ele foi levado ao Hospital Cachoeirinha, na zona norte da capital. Até o momento, não há informação sobre o estado de saúde da vítima.

De acordo com a PM, um policial militar que estava de folga ouviu os dispaos e conseguiu prender Batista antes que ele fugisse. Ainda segundo a polícia, no bolso do aposentado estavam 12 munições inteiras e duas deflagradas. Ele também foi encaminhado ao hospital da Barra Funda porque também ficou ferido na briga.

Batista foi autuado em flagrante por homicídio, tentativa de homicídio, porte ilegal de arma e violência doméstica. O caso foi registrado no 2º DP (Distrito Policial), no bairro do Bom Retido, Centro da capital.

Mais conteúdo sobre:
segurança homicídio

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.