Após tumulto em 2012, apuração do carnaval de SP será 'blindada'

Prefeitura vai administrar a contagem dos votos dos desfiles no Anhembi e restringiu público a 10 integrantes por escola

ARTUR RODRIGUES, O Estado de S.Paulo

15 Janeiro 2013 | 02h04

Um ano após integrantes de escolas de samba invadirem a área dos jurados e rasgarem os votos, a Prefeitura de São Paulo vai blindar a apuração deste ano para que ninguém estrague a festa. A contagem dos pontos vai acontecer sem plateia e com o dobro da segurança.

Antes organizada pela Liga Independente das Escolas de Samba, a apuração agora será totalmente administrada pela Prefeitura. "Vamos cadastrar 10 integrantes de cada escola para participar", disse o presidente da São Paulo Turismo (SPTuris), Marcelo Rehder, que organiza o carnaval da cidade.

Os nomes dos cadastrados terão de ser enviados pelas agremiações para a SPTuris até 1.º de fevereiro. No dia da apuração, eles terão de usar pulseiras para entrar na área reservada. "Vamos pedir que, além da direção, eles tragam integrantes como rainhas de baterias e responsáveis pelas alas", explicou Rehder.

Após a torcida da Gaviões da Fiel colocar fogo em carros alegóricos no ano passado, quando havia espaço para 8 mil pessoas assistirem à contagem, agora os integrantes das escolas vão ficar nas quadras. Além dos cadastrados de cada agremiação, ficarão na área restrita apenas a imprensa e organizadores do evento.

Dessa maneira, o público não deve ultrapassar 200 pessoas. Para fazer a segurança, a Prefeitura vai contratar 100 vigilantes que ficarão espalhados por todo o Anhembi. "É um aumento de aproximadamente 100% em comparação com o ano passado", afirmou Rehder.

Apontada como causadora do tumulto na apuração de 2012, a Império de Casa Verde não recebeu verba da Prefeitura este ano. As outras escolas envolvidas no tumulto foram multadas - o valor da penalidade, estipulado em contrato, variou entre R$ 10 mil e R$ 20 mil. Todas elas, porém, receberam os R$ 712 mil do patrocínio. As agremiações do Grupo de Acesso ganharam R$ 402 mil.

Neste ano, escolas ligadas a três torcidas organizadas vão desfilar. Na sexta-feira, dia 8 de fevereiro, serão Dragões da Real, torcida do São Paulo, e Mancha Verde, do Palmeiras. No sábado, será a vez dos corintianos da Gaviões da Fiel. A organização do evento, porém, acredita que não há risco de confrontos. "Torcidas já desfilaram juntas antes e não houve problema", disse o presidente da SPTuris.

Anhembi. Os ingressos para o carnaval começaram a ser vendidos na semana passada. Mais de 30 mil pessoas devem lotar as arquibancadas do Anhembi.

O sambódromo está recebendo pequenos ajustes. A principal mudança é que o Camarote da Cidade, destinado a convidados da Prefeitura e parceiros, ficará no Espaço da Cidade. A área ficou pronta no final do ano passado e já foi utilizada para eventos, como a festa do Festival de Cinema de São Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.