Roberto Bascchera / Estadão
Roberto Bascchera / Estadão

Após temporal, Eletropaulo dá de 1 a 5 dias para religar luz em SP

Temporal prejudicou o fornecimento de energia elétrica em vários bairros da capital; moradores reclamam

Eduardo Gayer*, Caio Blois* , Marco Antônio Carvalho e Ana Paula Niederauer, *Especiais para o Estado

04 Novembro 2018 | 22h36
Atualizado 05 Novembro 2018 | 16h03

SÃO PAULO - O temporal que atingiu a cidade de São Paulo na tarde de sábado, 3, ainda está causando prejuízos para os moradores da capital e de parte da região metropolitana. A chuva e os fortes ventos causaram interrupção no fornecimento de energia elétrica e a Eletropaulo, empresa concessionária do serviço, chegou a informar a alguns clientes que a luz só seria restabelecida na quinta-feira.

Nesta segunda-feira, 5, vários moradores relataram em redes sociais que ainda estavam sem energia elétrica. 

É o caso da moradora da Vila Leopoldina, Carol Rodrigues Berça, de 30 anos,  que está sem energia elétrica desde às 19h de sábado. "Começou o vendaval no sábado e imediatamente acabou a luz. Liguei inúmeras vezes para a Eletropaulo, fiz todos os procedimentos solicitados como olhar o disjuntor, enviar SMS, entrar no aplicativo e a mensagem é sempre a mesma: devido a quantidade de ocorrências não temos uma previsão em horário quanto ao restabelecimento de energia", explicou Carol.

"A energia já voltou nas outras casas da minha rua, mas na minha casa não voltou. Durante a ventania houve um estouro na fiação de um poste em frente a minha casa. Acredito que essa falta de energia seja por conta deste estouro no poste", disse Carol.

Carol contou que falou com uma atendente da Eletropaulo na manhã desta segunda-feira e que a empresa se prontificou a enviar uma equipe ao local o mais breve possível, mas não determinou o horário. " Estou há mais de 36 horas sem energia e já perdi tudo que estava na geladeira. São carnes e legumes que eu comprei na sexta-feira", lamentou Carol.

As regiões mais afetadas da capital foram sul, oeste e norte. Nas redes sociais, a concessionária disse ter quadruplicado o número de técnicos, o que totalizou 1,1 mil funcionários trabalhando "em diversos pontos para garantir a normalização". 

O morador da Chácara Santo Antônio, Fábio Casamassa, de 49 anos,  zona sul de São Paulo, ficou 32 horas sem energia elétrica. Ele contou que ligou várias vezes para Eletropaulo, mas não obteve sucesso. "Somente hoje de madrugada, por volta das 3 horas, foi restabelecida a energia. Minha mãe é idosa, ficou dois dias sem fazer nada".

Camassa disse que se preocupa com o verão. "Se com essa ventania ficamos todo esse tempo sem energia, imagine no verão que tem tempestades e vendavais mais frequentes", lamentou Casamassa.

Em nota, a Eletropaulo informou que ainda está trabalhando no restabelecimento da energia. Até o momento, mais de 90% dos casos do fim de semana foram resolvidos. A concessionária disse que intensificou a operação para minimizar o impacto à população após a tempestade. 

Reclamações

Uma mulher publicou no Twitter a resposta que recebeu da Eletropaulo sobre a demanda de religação. Às 9h37 deste domingo, a previsão era de restabelecimento às 14h30. Às 11h, a previsão mudou para 18h. E às 15h, quando a cliente fez novo questionamento, a empresa respondeu que a solicitação tinha prazo de atendimento para às 23h30 do dia 8, ponderando que a previsão poderia ser alterada.

Para outros usuários, a empresa deu prazos entre 24 e 72 horas para a religação, o que não havia sido cumprido integralmente, de acordo com relatos de moradores ouvidos pelo Estado na noite deste domingo. A Eletropaulo disse que ventos de até 75 km/h foram registrados, o que causou queda de galhos e árvores, principais causas da interrupção da energia. O Corpo de Bombeiros recebeu 494 chamados de queda de árvores no fim de semana em São Paulo e Grande São Paulo.

Apesar disso, na noite deste domingo o engenheiro Einstein Maciel, de 34 anos, teve de subir 13 andares de escada, pois a luz não havia sido religada no prédio onde mora, na Chácara Santo Antônio, zona sul da capital. “Por aqui, não choveu, mas teve uma ventania bem forte. A luz acabou às 18h30 (de sábado) e não voltou mais (até a noite de domingo). Em contato com a Eletropaulo, eles dão diferentes prazos, mas até agora nada foi resolvido”, lamentou.

O contador Marcos Vinícius Alves Ramalho, de 24 anos, esvaziou sua geladeira e levou os produtos para casas de parentes que moram perto dele, no Parque Vitória, zona norte. “Levamos as carnes para a casa da minha tia, senão ia estragar tudo. Tomei banho lá e hoje passei o dia fora de casa. Se não voltar até amanhã, vai ser mais difícil sair para o trabalho sem ter energia em casa”, disse. 

Moradora da Vila Andrade, na zona sul, Stefany Angeli também estava há 24 horas sem energia até a noite deste domingo A assessora de marketing já obteve da Eletropaulo três previsões para o restabelecimento.

Em outros casos, a energia foi religada.  O apartamento do engenheiro Jorge Portela, que fica no Jardim Londrina, na zona oeste, ficou sem luz das 19 horas de sábado até as 10 horas da manhã de domingo. 

Providências

A concessionária disse que as equipes “estão trabalhando para o restabelecimento total o mais rápido possível”. O Estado questionou a empresa sobre a quantidade de reclamações e uma previsão concreta para o restabelecimento total, mas não obteve resposta.

Sobre o prazo de cinco dias, a empresa disse que “a mensagem inicial enviada está incorreta”. “O cliente não será atendido apenas em 8 de novembro”. A Eletropaulo disse ter havido "uma falha no sistema de envio de SMS da concessionária, já solucionada pela companhia".

Como reclamar em caso de falta de energia

A falta de luz pode ser informada à Eletropaulo pelo telefone 0800 7272 196 ou por SMS, enviando uma mensagem para 7373 com a palavra LUZ e seu número de instalação, que consta na fatura. Para religação de energia elétrica com urgência, envie um torpedo para o mesmo número com a palavra RELIGA, seguida do seu número da instalação. O aplicativo também oferece atendimento.

O Procon-SP informou que o consumidor tem todo o direito de solicitar ressarcimento junto a empresa pelos prejuízos causados com perdas de alimentos em geladeira, medicação que necessite baixa temperatura, além da queima de aparelhos danificados. O cliente tem até 90 dias para fazer uma reclamação administrativa na Eletropaulo.

"É importante que o consumidor junte uma foto dos alimentos na geladeira, descreva as perdas, estime os gastos, se possível junte a nota fiscal e também descreva os equipamentos elétricos danificados. Muitas vezes os equipamentos estavam funcionando antes de acabar a luz e quando volta a energia não funcionam mais", explica Fátima Lemos, assessora técnica da diretoria de atendimento do Procon-SP, o cliente juntar 

Segundo Fátima Lessa, antes de fazer o conserto de qualquer aparelho danificado por uma descarga elétrica ou por falta de energia, como por exemplo um equipamento de segurança como um portão eletrônico ou um equipamento hospitalar de uso residencial, o consumidor deve entrar em contato com a Eletropaulo e pedir um protocolo, para deixar a empresa ciente que houve o contato do cliente e solicitar autorização para o reparo, para posteriormente ser ressarcido.

"É importante ter esse contato prévio para que depois a empresa não alegue que não teve oportunidade de reparo ou de fazer uma vistoria no equipamento", alerta Fátima

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.