Após surto em abril, quantidade de casos de dengue cai em SP

De acordo com balanço da Prefeitura, cidade teve 3.730 notificações da doença em 2014, mais do que o dobro de 2013

Rafael Italiani, O Estado de S.Paulo

02 Maio 2014 | 02h04

Após São Paulo passar por um surto de dengue nas últimas semanas, registrando 3.730 notificações, mais do que o dobro do ano passado inteiro, a epidemia diminuiu na 17.ª semana de 2014, conforme balanço da Secretaria Municipal de Saúde.

Na primeira semana de abril, foram registrados 804 casos, enquanto na última semana, de acordo com o balanço da pasta, 14 foram notificados. Durante o pico da doença, a Prefeitura chegou a responsabilizar o problema na capital ao surto vivido na região de Campinas.

O secretário municipal de Saúde, José de Filippi Junior, afirmou há algumas semanas durante uma coletiva que a dengue chegava à capital por rodovias que ligam São Paulo e Campinas. A epidemia das últimas semanas se concentrou em alguns bairros da região oeste da cidade.

No Jaguaré, foram registrados 642 casos em 2014, nível considerado alto. No bairro da Lapa, houve 284 notificações e, no Rio Pequeno, a Prefeitura foi informada de 206. Outros bairros como Jaguara e Vila Leopoldina tiveram índices acima da média registrada no mesmo período de 2013.

O problema também atingiu bairros da zona norte da cidade. No Tremembé, por exemplo, foram 262 casos de dengue. Apenas uma morte por dengue foi registrada na capital. No dia 6 de abril, uma criança de 6 anos, que morava no Jaguaré, bairro com incidência alta, morreu após contrair a doença.

Anteontem, durante um coletiva de imprensa, o secretário Filippi Junior afirmou que a situação está controlada na capital. Ainda segundo o secretário, a Prefeitura intensificou a ação antidengue nas regiões com maior incidência e o combate deve permanecer para evitar o mesmo problema em 2015. Segundo o secretário, a Prefeitura tem dificuldades para entrar nos imóveis mais antigos da cidade que, segundo ele, costumam estar vazios quando as equipes da Saúde chegam para vistoriar a situação dos locais.

Força-tarefa de feriado. A Secretaria Municipal de Saúde afirmou que o trabalho prossegue no feriado prolongado. A zona norte deve receber 28 ações com foco nos criadouros do mosquito. Os caminhões de fumaça também devem passar por sete vezes em bairros da região. A força-tarefa vai ter 525 agentes da Prefeitura.

A pasta também afirmou que 320 mil imóveis já foram vistoriados neste ano, e outros 15 mil foram nebulizados. Também foi realizada uma ação conjunta com a Prefeitura de Guarulhos, que enfrentou surto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.