Após sumiço, polícia revê guarda de arma

O desaparecimento de quatro submetralhadoras, uma carabina e uma espingarda calibre 12 da 2.ª Delegacia do Patrimônio (Furto e Roubo de Joias) do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) obrigou a Polícia Civil a anunciar ontem que vai rever a forma como os armamentos são guardados. Está sendo estudada também a compra de cofres especiais.

O Estado de S.Paulo

01 de junho de 2012 | 03h17

"Determinei uma contagem no Estado e uma análise de risco para verificar como é feita a guarda das armas, onde estão depositadas e qual o nível de segurança do local. Já há inclusive um indicativo para que sejam instalados cofres especiais", afirmou o delegado-geral da Polícia Civil, Marcos Carneiro Lima.

O desaparecimento das armas foi notado na última semana, durante troca de comando na delegacia. Um inquérito policial foi instaurado e o caso será apurado também pela Corregedoria. Segundo o delegado, as armas que desapareceram são pouco usadas pelos policiais. / W.C.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.