GABRIELA BILO/ ESTADAO
GABRIELA BILO/ ESTADAO

Após ser vice três vezes, Rosas de Ouro aposta na superação

Escola apresentou as histórias de Peter Pan, Alice no País das Maravilhas e A Bela e a Fera

Fabiana Cambricoli e Mônica Reolom, O Estado de S. Paulo

14 Fevereiro 2015 | 05h20

SÃO PAULO - Assim como a Tom Maior, a Rosas de Ouro apostou em uma dificuldade do ano anterior para criar seu samba-enredo. Cansada de ser vice por três anos seguidos, a escola falou sobre superação em “Depois da tempestade, o encanto!". Em 2014, a escola percorreu a avenida sob chuva e granizo. Para passar a mensagem de que é possível vencer com fé e determinação, a Rosas se baseou em quatro contos de fadas: Peter Pan, Alice no País das Maravilhas e A Bela e a Fera.

Uma das maiores musas do carnaval paulistano, a rainha de bateria Ellen Rocche usou uma fantasia que representava o universo e pesava 20 quilos. Antes de começar o desfile, Ellen declarou que estava “muito feliz” com a falta de chuva. A animação dos integrantes da escola chamaram o público para cantar junto, e o grupo foi um dos que mais levantou a plateia com o enredo. A Rosas de Ouro também contou com crianças em vários momentos, como quando apresentou um casal mirim de mestre-sala e porta-bandeira.

Com exatos 60 minutos de desfile, a escola encerrou sua apresentação confiante de que o título finalmente virá após três vice-campeonatos. “No ano passado enfrentamos uma chuva de granizo durante o desfile, por isso o tema deste ano foi superação. A comunidade amadureceu muito depois daquele trauma e fez hoje um desfile de campeã”, afirmou Angelina Basílio, presidente da Rosas de Ouro.

Mais conteúdo sobre:
Carnaval Rosas de Ouro São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.