REUTERS/Nacho Doce
REUTERS/Nacho Doce

Após roubo de ouro, Brink's passa a ter agentes armados em aeroportos

Segurança atuará em todas as etapas dos processos de embarque e desembarque de cargas de alto valor

Ana Paula Niederauer, O Estado de S.Paulo

05 de agosto de 2019 | 15h36

SÃO PAULO - A Brink's, empresa de transporte de valores, responsável pela entrega de 720 quilos de ouro até o aeroporto Internacional de Guarulhos, na Grande São Paulo, onde foram roubados, contará com agentes armados nos terminais de aeroportos em que faz operações a partir desta segunda-feira, 5. A segurança armada terá ação em áreas com acesso restrito e inacessível para os passageiros.

No final de julho, a empresa havia suspendido as atividades alegando "níveis crescentes das atividades criminosas e as restrições operacionais".

Em nota, a empresa informou que a partir desta segunda, terminais de cargas de alguns aeroportos do país contarão com a "presença armada ostensiva de proteção em todas as etapas dos processos de embarque e desembarque de cargas de alto valor".

De acordo com a Brinks, a empresa se reuniu com a direção dos aeroportos de Guarulhos, Viracopos e Manaus, com as autoridades e agentes envolvidos com a segurança e operação destes aeródromos (Polícias Federal, Civil e Militar, Infraero, Anac e Receita Federal), para solicitar a necessária e imediata alteração nos seus Planos de Segurança de Transporte Aéreo de Valores (PSTAVs).

Suspeitos presos

Na sexta-feira, 2, a Polícia Civil de São Paulo prendeu o quarto suspeito de participar do roubo de 720 quilos de ouro no terminal de cargas do Aeroporto Internacional de Cumbica. A polícia não informou o nome do detido e nem o local da prisão. 

Continuam presos o funcionário do aeroporto, Peterson Patrício, de 33 anos, e um amigo dele, Peterson Brasil. Patrício havia dito aos investigadores ter sido refém da quadrilha na véspera do crime.

Também foi preso o pintor Célio Dias, de 45 anos, acusado de ter definido o local para intermediar a fuga: um estacionamento na zona leste de São Paulo. Dias foi autuado em flagrante por posse de munição de calibre de uso restrito. O suspeito estava com um carregador de fuzil contendo projéteis calibre .762 mm. 

Como foi o roubo de ouro em Guarulhos?

Após usar veículos que imitavam carros da Polícia Federal para entrar na área de embarque de cargas do aeroporto, a quadrilha dominou funcionários e, em dois minutos, saiu com a carga de ouro. Na fuga, os carros foram abandonados no Jardim Pantanal e trocados por caminhonetes. Essas caminhonetes, depois, foram achadas pela polícia no estacionamento. A carga, avaliada em mais de R$ 100 milhões, iria para Nova York e Toronto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.