Após Roosevelt, movimento quer ocupar vale

Seis meses depois de ocupar a Praça Roosevelt, na região central, e transformá-la em palco para algumas festas-protesto, o movimento #ExisteAmorEmSP pretende agora levar a discussão para o Vale do Anhangabaú. O grupo está organizando no dia 4 de maio um evento no local, batizado de Anhangabaú da FelizCidade.

JULIANA DEODORO, O Estado de S.Paulo

26 de abril de 2013 | 02h04

Haverá sete palcos, alguns sistemas de som itinerantes, intervenções artísticas, projeções de vídeos e imagens e debates. A festa, segundo os organizadores, foi pensada levando em consideração a reforma que a Prefeitura vai fazer no local, com o objetivo de propor outras ocupações no Vale."O projeto oficial já estava programado havia meses. O que a gente quer propor é que, depois da Copa, o Anhangabaú seja pensado como espaço cultural de fato, que favoreça a ocupação das pessoas, e não só para eventos de massa", diz Bruno Torturra, um dos integrantes do movimento.

Um grupo de trabalho formado por arquitetos, urbanistas e artistas do #ExisteAmorEmSP prepara uma proposta a ser apresentada à Prefeitura. "O Anhangabaú é maior e mais complexo que a Roosevelt e é preciso pensar em uma ocupação cultural que não signifique um processo de gentrificação (expulsão da população mais pobre)", acrescenta Torturra.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.