Após revisão, escola do Ceará fica em 5º no Enem

O Instituto de Pesquisas e Estudos Educacionais (Inep) aceitou nessa quinta-feira, 28, recursos de mais três escolas que pediam revisão das notas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Na quarta-feira, o instituto já havia revisado as notas de três escolas, deixando o Objetivo Integrado, de São Paulo, no primeiro lugar do ranking nacional. Os colégios que tiveram os pedidos deferidos ontem foram o Ari de Sá Cavalcanti, do Ceará, o Colégio Olimpo Brasília, do Distrito Federal, e o Instituto Gay Lussac, do Rio.

Marina Azaredo, O Estado de S.Paulo

29 Novembro 2013 | 02h12

As escolas tinham ficado de fora por inconsistências entre os dados da quantidade de concluintes do ensino médio que constam no Censo da Educação Básica e o número de inscritos na penúltima edição do Enem.

Com as mudanças, o colégio cearense Ari de Sá, com média 711,24, passou a aparecer na lista das escolas com melhor desempenho, na 5.ª colocação. O Colégio Olimpo Brasília ficou com média 679,55. O Instituto Gay Lussac teve média de 675,13 no Enem 2012. Após as alterações, duas escolas saíram do grupo das dez melhores do Brasil: o Colégio de Aplicação da Universidade Federal de Pernambuco (CE) e o Colégio Anglo Leonardo da Vinci, de Carapicuíba.

Após a correção, o Ari de Sá também entrou no ranking das melhores do País em redação. A escola cearense está em 9.º lugar, com 777,96. O Colégio Olimpo Brasília ficou com 705,66 e o Gay Lussac, com 707,00.

O Ari de Sá teve uma participação de 98% dos alunos, com 50 registrados pelo censo e 49 que realizaram a prova. O Colégio Olimpo Brasília registrou 60 concluintes e 53 alunos realizaram a prova. E o Instituto Gay Lussac ficou com 100% de participação, já que todos os 40 alunos compareceram à prova.

Revisão. "Análises realizadas pela equipe técnica da Diretoria de Avaliação da Educação Básica (Daeb) constataram que, em todos os casos, as escolas tiveram na base de inscritos do Enem 2012 mais estudantes concluintes do que o total de estudantes concluintes presentes no censo escolar de 2012, o que cria uma taxa de participação superior a 100%, impedindo o cálculo da média", diz um comunicado do Inep. O órgão ressalta que as escolas podem fazer pedidos de revisão até 4 de dezembro. Até ontem, 31 escolas haviam feito o pedido. A maioria está em análise.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.