Após reportagem sobre camelôs, delegado de Cumbica é substituído

O delegado titular do Aeroporto de Cumbica, Ricardo Guanaes Domingues, foi substituído por Raul Machado Tiltscher após reportagem publicada pelo Estado, no domingo, mostrar o livre comércio ambulante no local, com vendedores irregulares comercializando de chaveiros a canetas e adesivos até mesmo na área do check-in.

O Estado de S.Paulo

05 de maio de 2012 | 03h03

"Aqui não temos tanto o problema de táxi como em Congonhas. A questão é mais os vendedores ambulantes e os furtos, tanto no check-in quanto na área reservada. Ainda é um pouco acima da média", afirma Tiltscher, que atuava antes no Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP).

Segundo o delegado, ações coordenadas com a Polícia Federal estão sendo feitas para identificar quadrilhas que atuam em Cumbica - duas já foram desmontadas e uma terceira está sob investigação.

Furtos. No primeiro bimestre do ano, os furtos cresceram 47% nos dois principais aeroportos de São Paulo, segundo a Secretaria da Segurança Pública. Somados, Congonhas e Cumbica registraram 290 casos - ante 197 no mesmo período de 2011.

Em Congonhas, o aumento foi de 19%, com 50 ocorrências ante 42 no mesmo período do ano passado. Já em Cumbica, a alta chegou a 54%: foram 240 casos, bem mais do que os 155 registrados no mesmo período de 2011. / N.C.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.