Após reformas, o público vem

Até 2012, todos os dez teatros municipais paulistanos devem ter sido reformados pela Prefeitura. Como vem acontecendo agora, aliás, com o Teatro Municipal (no centro), o Alfredo Mesquita (em Santana, na zona norte de São Paulo) e o Martins Penna (na Penha, zona leste). O Cacilda Becker (na Lapa, zona oeste) e o Zanoni Ferrite (na Vila Formosa, também na zona leste) já ficaram prontos.

, O Estado de S.Paulo

14 de junho de 2010 | 00h00

No caso do Cacilda, bons frutos vêm sendo colhidos - em forma de público e aplausos. Antes da reforma, ocorrida entre 2008 e 2009, a média mensal de espectadores que frequentavam o espaço era de 627 pessoas. Hoje são quase 1,2 mil pessoas por mês (na foto, um dos espetáculos ocorridos recentemente).

É claro que o público não aumenta só porque o teatro ficou mais bonito e agradável. Com as instalações tinindo, as casas teatrais tendem a incrementar a programação - até porque a estrutura permite uma melhoria de atividades.

Biblioteca. Inaugurado anteontem, o Teatro Zanoni Ferrite fica dentro da Biblioteca Municipal Paulo Setúbal. Com um investimento de R$ 1,1 milhão, a biblioteca foi repaginada e o velho auditório transformado nesse teatro, com capacidade para 210 espectadores.

INTERROGAÇÕES

Quantos paulistanos jogam a Copa do Mundo deste ano?

Júlio Baptista é o único paulistano a vestir a amarelinha. Também nascido em São Paulo, Tanaka defende as cores do Japão. Outras cidades paulistas estão representadas na competição: Jundiaí (Doni e Grafite), Campinas (Luis Fabiano), São Vicente (Robinho), Iracemápolis (Elano) e Amparo (Luisão). Cacau, da seleção alemã, nasceu em Santo André; Deco, de Portugal, em São Bernardo.

E na F-1, quantos pilotos são nascidos na capital paulista?

Os quatro brasileiros: Barrichello, Massa, Bruno Senna e Di Grassi.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.