Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Após 7 anos de abandono, começam obras em área de antiga rodoviária

Terreno na Cracolândia em frente à Sala São Paulo abrigará 1.202 unidades habitacionais, 60 lojas, uma creche e a nova sede da Escola de Música Tom Jobim

Adriana Ferraz, O Estado de S.Paulo

23 Janeiro 2017 | 14h55

SÃO PAULO - Após quase sete anos de abandono, o terreno que abrigava a rodoviária da Luz, no coração da Cracolândia, no centro de São Paulo, vai finalmente virar um canteiro de obras. O governador Geraldo Alckmin (PSDB) anunciou na manhã desta segunda, 23, o início da construção de 1.202 unidades habitacionais no espaço, que fica em frente à Sala São Paulo. O megaempreendimento será tocado por uma Parceria Público-Privada (PPP). Além de moradias, a área abrigará a nova sede da Escola de Música Tom Jobim, 60 lojas e uma creche.

Alckmin atribuiu a demora na execução do projeto à busca de um parceiro privado e de um projeto que tivesse a capacidade de recuperar a área. De acordo com o tucano, ao levar moradores para a região, Estado e Prefeitura darão agora um passo definitivo para o fim da Cracolândia.

"Vamos trazer de volta as pessoas para morarem no centro expandido e com uma visão moderna. Não serão só apartamentos aqui, mas 60 lojas, escola de música, creche, áreas de lazer, áreas verdes, quadras esportivas", disse.

O Complexo Júlio Prestes será dividido em quatro edifícios de 17 andares, três de 12 andares e um de 13 andares. Ao todo, serão 94,6 mil metros quadrados de área construída. As unidades serão destinadas preferencialmente a pessoas que trabalham no centro.

De acordo com a Secretaria de Estado da Habitação, 80% dos apartamentos serão sorteados para inscritos neste perfil. O restante será dividido entre pessoas que já moram na região central. O prazo para inscrições se encerra em 24 de julho - até agora, a lista já soma 149 mil interessados.

O prazo para execução do complexo é de 36 meses. Mas, de acordo com o concessionário responsável, os primeiros prédios começarão a ser entregues dentro de 18 meses. As primeiras 126 moradias entregues pela PPP da Habitação foram erguidas na Rua São Caetano. O projeto para o centro, no entanto, prevê 3.683 unidades - há em obras outras 91 na Alameda Glete e as demais deverão ser construídas na Barra Funda, onde hoje funciona a Usina de Asfalto da Prefeitura.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.