Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

Após prisão, Cristian Cravinhos é transferido para Tremembé

Detido por agredir a ex-mulher e tentar subornar policiais, ele perdeu o direito de cumprir pena no regime aberto

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

19 Abril 2018 | 17h10

SOROCABA - O detento Cristian Cravinhos, condenado a 38 anos e seis meses de prisão pelo assassinato do casal von Richthofen, foi transferido nesta quinta-feira, 19, para a Penitenciária de Tremembé, no Vale do Paraíba. A Secretaria de Administração Penitenciária (SAP) confirmou a entrada do detento na Penitenciária Doutor José Augusto César Salgado, a Tremembé 2, às 15h10. Ele estava em liberdade desde agosto do ano passado para cumprir o restante da pena em regime aberto, mas foi preso na madrugada de quarta-feira, 18, em Sorocaba, após agredir a ex-mulher. Ele também foi acusado de portar arma e munição e tentar subornar os policiais. 

+++ Justiça decide mandar Cristian Cravinhos de volta para a prisão

Em razão das novas acusações, a Justiça de Sorocaba determinou a prisão preventiva de Cristian. Depois de passar a noite no Centro de Detenção Provisória (CDP) da cidade, ele foi levado de volta a Tremembé, onde cumpria a pena. O advogado Ivan Peterson de Camargo, que passou a atuar no caso, também confirmou a transferência.

+++ Cristian Cravinhos é preso por porte de arma e suborno de policiais em Sorocaba

Segundo ele, além da perda do benefício de cumprir o restante da pena fora da prisão, seu cliente foi punido com a regressão para o regime fechado.

+++ Após soltura dos irmãos Cravinhos, Suzane fica a um passo da liberdade

"Vamos trabalhar para provar que ele não cometeu nenhum crime. Não havia arma com ele e também não teve o suborno. O passo seguinte será tentar reaver o benefício do regime aberto", disse Camargo. 

Cristian foi beneficiado com a progressão de regime após cumprir um terço da pena, tendo demonstrado bom comportamento. Ele ainda passou por um teste para comprovar que estava apto a conviver socialmente. No regime aberto, ele não poderia se ausentar de São Paulo, onde declarou domicílio, sem autorização da Justiça.

Conforme o advogado, ele foi a Sorocaba para se encontrar com uma namorada, mas foi seguido pela ex-mulher. Abordado próximo de um bar, ele teria agredido a ex, que chamou a polícia. Além de R$ 1 mil, Cristian teria oferecido uma moto aos policiais.

O veículo foi apreendido. Nesta quinta-feira, o irmão dele, Daniel Cravinhos, esteve em Sorocaba para tentar a liberação da moto. Ele chegou à delegacia da Polícia Civil na companhia da mãe, Nadja Quissak. Ambos saíram sem falar com a imprensa.

Pena

Os irmãos Cristian e Daniel Cravinhos foram condenados em 2006, junto com Suzane von Richthofen, pelo assassinato dos pais dela, Manfred e Marísia Richthofen, em 2002, em São Paulo. Na época, Daniel era namorado de Suzane e foi sentenciado a 39 anos e seis meses em regime fechado, mas também já deixou a prisão, após ser autorizado pela Justiça a cumprir o restante da pena em liberdade.

Condenada à mesma pena, Suzane aguarda decisão da Justiça sobre pedido no mesmo sentido, feito pela Defensoria Pública de Taubaté.

Mais conteúdo sobre:
Cristian Cravinhos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.