Luisa Mell (@luisamell)/Instagram
Luisa Mell (@luisamell)/Instagram

Após polêmica, cidade do interior desfaz presépio com animais vivos

Prefeito de Torrinha reconheceu erro e pediu desculpa depois que moradores reclamaram de maus-tratos em frente à igreja matriz

Rene Moreira, especial para o Estado

12 Dezembro 2017 | 17h23

Após a polêmica envolvendo o uso de animais vivos em um presépio ao ar livre, montado em frente à Igreja Matriz de Torrinha, no interior de São Paulo, a prefeitura anunciou o fim da exposição. Nesta terça-feira, 12, o prefeito Ronaldo Gasparelo (PV) resolveu se desculpar pelo ocorrido. "É necessário reconhecer nossos erros", alegou.

+++ Em novo endereço, árvore de Natal do Ibirapuera convida a fazer selfies

O presépio foi montado no último fim de semana com vaca, bezerro, ovelhas e jumento. A intenção era expor os animais todos os sábados e domingos até o Natal. Mas com as reclamações de moradores a ideia foi encerrada com apenas dois dias de exibição.

+++ PAULISTICES: O mais famoso presépio do Museu de Arte Sacra

Segundo denúncias, os animais ficaram expostos ao sol no sábado, 9, e foram vítimas de maus-tratos. A prefeitura nega que isso tenha ocorrido e afirma que o projeto teve o aval de veterinários. 

+++ Árvore de coxinha é o presente que faltava para o seu Natal

O prefeito, porém, reconheceu que o uso dos animais foi um erro, "pois animal não deve ser considerado enfeite". Ele afirmou ainda entender "a sensibilização de todos" e disse agora considerar "inconcebível" a presença deles no sol, "seja qual for a circunstância".

Segundo Gasparelo, os animais foram bem tratados e, no domingo, 10, foram retirados do local.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.