Luisa Mell (@luisamell)/Instagram
Luisa Mell (@luisamell)/Instagram

Após polêmica, cidade do interior desfaz presépio com animais vivos

Prefeito de Torrinha reconheceu erro e pediu desculpa depois que moradores reclamaram de maus-tratos em frente à igreja matriz

Rene Moreira, especial para o Estado

12 de dezembro de 2017 | 17h23

Após a polêmica envolvendo o uso de animais vivos em um presépio ao ar livre, montado em frente à Igreja Matriz de Torrinha, no interior de São Paulo, a prefeitura anunciou o fim da exposição. Nesta terça-feira, 12, o prefeito Ronaldo Gasparelo (PV) resolveu se desculpar pelo ocorrido. "É necessário reconhecer nossos erros", alegou.

+++ Em novo endereço, árvore de Natal do Ibirapuera convida a fazer selfies

O presépio foi montado no último fim de semana com vaca, bezerro, ovelhas e jumento. A intenção era expor os animais todos os sábados e domingos até o Natal. Mas com as reclamações de moradores a ideia foi encerrada com apenas dois dias de exibição.

+++ PAULISTICES: O mais famoso presépio do Museu de Arte Sacra

Segundo denúncias, os animais ficaram expostos ao sol no sábado, 9, e foram vítimas de maus-tratos. A prefeitura nega que isso tenha ocorrido e afirma que o projeto teve o aval de veterinários. 

+++ Árvore de coxinha é o presente que faltava para o seu Natal

O prefeito, porém, reconheceu que o uso dos animais foi um erro, "pois animal não deve ser considerado enfeite". Ele afirmou ainda entender "a sensibilização de todos" e disse agora considerar "inconcebível" a presença deles no sol, "seja qual for a circunstância".

Segundo Gasparelo, os animais foram bem tratados e, no domingo, 10, foram retirados do local.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.