Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Após pichações, Pátio do Colégio instala grades removíveis para tentar proteger local

Prefeitura Regional da Sé solicitará aos administradores que retirem os gradis já que se trata de passeio público

Jéssica Otoboni, O Estado de S.Paulo

21 Maio 2018 | 08h46

SÃO PAULO - A fachada do Pátio do Colégio, no Centro Histórico de São Paulo, teve grades instaladas no entorno como medida de proteção após as paredes amanhecerem pichadas no dia 10 de abril.

+ Mais dois suspeitos de pichar Pátio do Colégio são ouvidos pela polícia

+ Pichadores do Pátio do Colégio são multados em R$10 mil

A Prefeitura de São Paulo disse que a barreira foi instalada durante os trabalhos de recuperação das paredes, e ressaltou que a Prefeitura Regional da Sé solicitará aos administradores que retirem os gradis do local já que se trata de passeio público.

+ Fachada do Convento São Francisco amanhece pintada no centro

+ Voluntários iniciam a limpeza da fachada do Pátio do Colégio nesta segunda-feira

A Guarda Civil Metropolitana manterá uma viatura por tempo indeterminado para a preservação do local, de acordo com a Prefeitura. Procurada, administração do Pateo do Collegio ainda não se pronunciou sobre o assunto.

Dois dos envolvidos na pichação foram multados em R$10 mil cada um. O confeiteiro João Luís Prado Simões França, de 33 anos, e a fotógrafa Isabela Tellerman Viana, de 23 anos, confessaram participação no crime ambiental. Eles picharam a frase “Olhai por nóis” (sic) na fachada do monumento.

O homem, conhecido como M.I.A, (Massive Ilegal Arts, Artes Ilegais de Massa em tradução livre), é considerado o líder do grupo pela polícia e confessou ter participado de outras pichações em pontos importantes da cidade, como o Monumento às Bandeiras e a estátua do Borba Gato, em 2016.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.