Daniel Teixeira/AE
Daniel Teixeira/AE

Após panes, Haddad promete licitação para trocar semáforos da cidade

Chuvas de segunda ainda deixam reflexos na cidade nesta terça, que amanheceu com 150 faróis com problemas

Artur Rodrigues, O Estado de S. Paulo

19 de fevereiro de 2013 | 10h36

Atualizada às 12h53

SÃO PAULO - O prefeito Fernando Haddad afirmou nesta terça-feira,19, que abrirá licitação ainda no primeiro semestre para trocar a rede  de semáforos do centro expandido de São Paulo. O investimento deve superar R$ 100 milhões. "O relatório que chegou ontem (segunda-feira) com fotos é que os equipamentos estão sucateados e com falta de manutenção", disse. 

Segundo Haddad, a reforma na rede será a maior dos últimos anos.Outro problema enfrentado é que não há no breaks nos equipamentos e que a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) está sem peças de reposição no estoque.

Transtornos. Mais de 150 semáforos ainda apresentavam problemas por volta das 8h de desta terça-feira, 19, em decorrência da chuva que atingiu a capital paulista nessa segunda, 18, segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET). A cidade registrou a maior temperatura do ano, com 36,1 graus. A combinação entre o calor e umidade, condição típica do verão, foi responsável pelas precipitações, de acordo com o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE).

A Linha 9-Esmeralda, da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) - que liga o bairro Grajaú, na zona sul, ao município de Osasco, na Grande São Paulo -, apresenta problemas ainda nesta terça-feira em decorrência das chuvas. Ontem o serviço foi interrompido das 17h às 18h30. Entre as estações Jurubatuba e Interlagos, a movimentação do trem é feita hoje por uma única via, o que aumenta o tempo de intervalo entre as composições. A falha foi provocada por um defeito no sistema de energia, de acordo como órgão.

O Plano de Atendimento entre Empresas em Situação de Emergência (Paese), que disponibiliza ônibus para auxiliar no transporte de passageiros, foi acionado.

Cerca de 100 árvores, que foram derrubadas pelo temporal, também dificultam o trânsito para os paulistanos na manhã de hoje. Durante a chuva, a capital registrou, por volta das 20h, sete pontos de alagamentos. Na Avenida Ignácio Anhaia Mello, na zona leste, um trecho ficou intransitável e vários carros ficaram submersos.

O Aeroporto de Congonhas opera normalmente na manhã de hoje, mas ontem ficou fechado por uma hora, das 16h15 às 17h e das 17h05 às 17h21. No local, foram registradas rajadas de vento de aproximadamente 65 quilômetros por hora.

Desde o início do mês, choveu todos os dias, segundo o CGE. Com isso, no acumulado do período, São Paulo já apresenta 94,2% do esperado para o mês, que é 217 milímetros (mm). No mesmo período do ano passado, o índice pluviométrico total ficou em 207,2 mm. Ontem, a média ficou em 17,4 mm. A região com maior volume de chuva foi o bairro Mooca, na zona leste, com 53,4 mm. COM INFORMAÇÕES DA AGÊNCIA BRASIL.

Tudo o que sabemos sobre:
chuvasemáforos apagadosalagamentos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.