Após mobilização na web, HemoRio tem filas de 4 horas

A tragédia do Rio foi o principal tema de ontem nas redes sociais da internet. O assunto ficou entre os trending topics (tópicos mais comentados) do Twitter ao longo de todo o dia - na parte da tarde, o massacre estava em sete de dez temas mais comentados.

Edison Veiga, O Estado de S.Paulo

08 de abril de 2011 | 00h00

"Não há caracteres suficientes pra descrever o que aconteceu no Rio. Ainda mais quando as vítimas são crianças. Muito triste!", afirmou Márcio Leite, usuário @brmarcioleite.

Depois de o HemoRio fazer um apelo para a necessidade de sangue para o tratamento dos sobreviventes, 34 mil tweets foram feitos sobre a campanha. "Precisa-se de doação de sangue para as crianças feridas! @Hemorio- Disque Sangue: 0800 282 0708 Se você pode ajudar, ajude", postou Alberto Alves, usuário @AllbertoAlves. Resultado: quase 900 pessoas foram ao local. Ao todo, 374 bolsas de sangue foram coletadas somente ontem.

No Orkut, comunidades referentes à escola debatiam o tema. Na intitulada E.M. Tasso da Silveira, a foto principal foi trocada pela de um olho com lágrima escorrendo. O tópico com mais comentários era Atirador Louco Atirando na Tasso da Silveira.

Com as discussões mais acaloradas, a comunidade Ex-Alunos da Tasso da Silveira, centralizou o debate no tópico Atirador Louco Entra Atirando em Sala de Aula!!. Alguns usuários diziam ter sido colegas de classe do atirador Wellington Menezes de Oliveira, ex-aluno da escola. "Ele estudou comigo... Era da minha sala... Lembro que ele era caladão... Ficava sempre na dele... Não era muito certo da cabeça, não...", diz Bruno Dantas.

"Columbine Brasileira". Foi criada no Orkut, uma comunidade chamada Wellington Menezes de Oliveira, destinada a "recolher informações sobre o assassino do que já está sendo chamada Columbine Brasileira". A página pede aos "ex-amigos do Wellington, vizinhos, e qualquer um que tenha contato com ele que relatem suas vivências". No Facebook, um perfil provavelmente falso em nome de Wellington Menezes de Oliveira também foi criado ontem. A foto era do boneco assassino Chuck. /COLABOROU PAULO SALDAÑA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.