Após lentidão recorde, Kassab reprova faixa de motos na 23

Segundo o prefeito, "as simulações e dados analisados pela CET não favorecem a manutenção" do corredor

estadao.com.br

22 de janeiro de 2008 | 14h58

Após a cidade de São Paulo ter enfrentado nesta terça-feira, 22, em meio ao tranqüilo período de férias escolares, o primeiro recorde de congestionamento do ano – às 10h30, eram 95  quilômetros de lentidão –, o prefeito Gilberto Kassab (DEM) anunciou que a faixa exclusiva para motocicletas, na Avenida 23 de Maio, não deve passar no teste inicial. Segundo Kassab, "as simulações e dados analisados pela CET não favorecem a manutenção dessa exclusividade para as motos. A decisão da CET de fazer a experiência em caráter experimental foi muito correta. Porém, os números e as informações que tenho no momento mostram que muito possivelmente é algo que não vá ter seqüência. Ainda é prematuro. Por isso em caráter experimental e uma medida de curtíssimo prazo".  Kassab afirmou que a decisão definitiva deve ser anunciada após uma reunião com o secretário municipal de Transportes, Alexandre Morares, e da Companhia de Engenharia de Tráfego. "Eu terei uma reunião, mas posso adiantar que os dados que temos até agora são desfavoráveis à manutenção da exclusividade. A cidade de São Paulo tem no trânsito um problema grave, uma cidade que tem 5,6 milhões de veículos e 650 mil motocicletas. Ao longo das últimas décadas teve um volume de investimentos muito aquém do necessário e que faz com que tenhamos que fazer análises e gestões para minorar ao máximo o excessivo número de veículos", lamentou o prefeito.

Tudo o que sabemos sobre:
trânsitomotocicletasSão Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.